Por que será? II

Achei boa a idéia de fazer uma série denominada Por Que Será?

Assim, minhas reflexões ficam menos impositivas ou pretensiosas.

E os textos podem ser mais curtos. Quase twitterianos…

E muitos poderão ter respostas incisivas e convincentes às minhas dúvidas.

Sei lá. Vamos adiante, pois.

Recebo um emeio com um convite feito por Raquel Rolnik

“Convido a [email protected] para o primeiro seminário organizado no Brasil pela Relatoria Especial da ONU para o Direito à Moradia Adequada: “Remoções em Grandes Projetos: e o Direito à Moradia Adequada.  Data: 02 de outubro de 2009 ás 18h Local: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo – Universidade de São Paulo”.

Raquel é relatora da ONU para o direito à moradia adequada.

Conheço-a de longa data. Alem de profissional competente e engajada é pessoa muito simpática e colaboradora.

Fica-me a pergunta: existe uma Relatoria da ONU  Para o Direito à Mobilidade Adequada?

Principalmente a mobilidade dos “imóveis”, ou “quase imóveis”?

Se não, por que será?

Leio na revista Carta Capital 564 que foi de 25,2 bilhões de reais o quanto o Brasil vai deixar de arrecadar até o fim do ano, por conta dos pacotes de estímulo contra a crise econômica.

E não tem dinheiro para a tarifa zero nos transportes coletivos.

Por que será?

Leio a notícia.

“As tarifas de ônibus de São Paulo serão reajustadas após três anos”.

Prefeito diz ser inevitável.

Fico com as seguintes indagações:

– Se o serviço manteve-se com a mesma qualidade, a tarifa de 2006 estava muito alta, pois a inflação acumulada entre 2007 a 2009 foi de cerca de 17,5%. Bobo de quem usou em 2007.

– Ao contrário, era perfeitamente  justa em 2007 e então  os empresários tiveram prejuízo.

– O serviço piorou para que os empresários não tivessem essa perda.

– A prefeitura bancou a diferença para que as empresas não tivessem prejuízo.

– Nenhuma das hipóteses anteriores, sei lá…

E por que agora o reajuste é inevitável?

Por que será?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *