[Cuiabá] Empresas querem aumentar a passagem de coletivo

por Euziany Teodoro

Os proprietários de empresas do transporte coletivo de Cuiabá e Várzea Grande já estão se articulando no sentido de reinvindicar um novo reajuste no preço da passagem de ônibus nas duas cidades. O setor já enviou às prefeituras das duas cidades, há quase um mês, uma planilha de gastos para justificar um novo aumento, que deve acontecer ainda neste ano. Continue reading “[Cuiabá] Empresas querem aumentar a passagem de coletivo”

[SP] 19% da renda mensal é comprometida com passagens de metrô

por Fabiana Pimentel

SÃO PAULO – Em São Paulo, onde a linha de metrô tem extensão de 74,3 km e a passagem custa R$ 2,90, uma pessoa que ganha o salário mínimo estadual (R$ 610) teria 19,02% da renda comprometida, por mês, ao comprar dois bilhetes por dia. O levantamento foi realizado pelo Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor).

Mesmo não tendo a tarifa metroviária mais cara do mundo, se considerada a faixa de renda mínima local, o valor do bilhete unitário na cidade de São Paulo pode ser considerado alto, pois nas cidades com tarifas mais altas, o salário também é maior e o comprometimento da renda é menor. Continue reading “[SP] 19% da renda mensal é comprometida com passagens de metrô”

[Santo André] Passageiros pedem investimentos nos coletivos

por Evandro Enoshita

Empresas de ônibus estudam reajustes de preços no ABC; passageiros são contra e pedem mais qualidade

As empresas de ônibus falam em reajustar as tarifas, e os usuários reclamam. Mais uma vez, isso não poderia ser diferente. No início da semana, a Associação das Empresas do Sistema de Transporte de Santo André registrou um pedido para aumento de 17,6% no preço da tarifa, que iria passar de R$ 2,90 para R$ 3,41. A chiadeira não demorou para começar. Continue reading “[Santo André] Passageiros pedem investimentos nos coletivos”

Tarifa Zero em Agudos, SP

por Alice Wakai e Henri Chevalier

Há dez anos, Agudos, uma pequena cidade ao lado de Bauru, interior de São Paulo, colocou em prática um projeto ousado. O transporte coletivo passou a ser gratuito, com a finalidade de facilitar a mobilidade dos quase 35 mil moradores para qualquer bairro, escola, trabalho, comércio ou serviço que desejassem. Nessa entrevista, José Carlos Octaviani, prefeito de Agudos na época e atual secretário de Obras, explica como implementou a Tarifa Zero na cidade, as dificuldades encontradas e a reação popular com a gratuidade do transporte.

Como surgiu a proposta dos ônibus “de graça” em Agudos?

Octaviani: Em 2000 eu disputava pela segunda vez a eleição para prefeito de Agudos. E nós tínhamos uma empresa que trabalhava há quase 20 anos aqui. Lamentavelmente, o serviço estava sem qualidade. Era uma empresa concessionária da cidade. Primeiro morreu um proprietário, depois morreu o outro e os herdeiros começaram a ter uma dificuldade grande para gerir o sistema. Continue reading “Tarifa Zero em Agudos, SP”

Tempo gasto pelo trabalhador com transporte vale como hora extra, decide TST

O TST (Tribunal Superior do Trabalho) reconheceu que o período em que o trabalhador está aguardando o transporte fornecido pela empresa conta como hora extra. A SDI-1 (Subseção 1 Especializada em Dissídios Individuais) negou provimento a recurso da Brenco – Companhia Brasileira de Energia Renovável, em Goiás, e manteve condenação ao pagamento como hora extra do tempo em que um trabalhador esperava pelo ônibus da empresa para voltar para casa.

E em outra decisão, da 7ª Turma do TST, a Tequimar (Terminal Químico de Aratu), na Bahia, terá de pagar a seus empregados, como tempo à disposição, um período de espera que em alguns casos chega a ser de 50min. Continue reading “Tempo gasto pelo trabalhador com transporte vale como hora extra, decide TST”