[São Paulo] Manifestação no dia da votação do Orçamento 2013: a tarifa do ônibus não pode aumentar!

por Movimento Passe Livre São Paulo

Frente à possibilidade de novo aumento na tarifa nos ônibus de SP, o MPL chama todos a se mobilizarem na quarta-feira 28/11, a partir das 17h em frente à Câmara Municipal, de onde sairemos em passeata pelo Centro. Nesse dia, os vereadores realizarão a primeira votação do Orçamento 2013, muito importante para a decisão sobre um eventual aumento.

Estaremos lá desde às 14h acompanhando a sessão no plenário da Câmara e lembrando a eles a importância do transporte público. Cheguem mais cedo e juntem-se a nós para depois sairmos em passeata!

Do “Fora o Vintém” à tarifa zero!

por Camila S. Betoni

Como muitos outros episódios em que o povo comum é protagonista, a Revolta do Vintém não fez parte das “grandes narrativas da história”, foi até hoje pouco estudada e não há muitos registro sobre o que aconteceu nos últimos meses daquele ano. De todo jeito, com as poucas informações que tenho, gostaria de lembrar desse episódio, mas sem rigor científico, tendo como fonte o pouco que li e exercendo certa imaginação sobre os fatos. Faço isso como homenagem ao Movimento Passe Livre, por sua semana oficial de lutas, marcada anualmente pelo 26 de Outubro.

“Vive o pobre amargurado,
Mas vá pagando o vintem,
Si quizer ser transportado,
Quando vae e quando vem.”  Continue reading “Do “Fora o Vintém” à tarifa zero!”

O valor econômico do tempo livre

por Ladislau Dowbor

O tempo é o nosso principal recurso não renovável. O seu desperdício, por nós mesmos ou por terceiros, é monumental. Todos sabemos que time is money, mas poucos pensam nessa comparação. O tempo é o tempo da nossa vida. Dinheiro perdido pode ser recuperado. Já a vida…

Keynes tinha uma visão muito simpática do amor pelo dinheiro: “O amor do dinheiro como posse – distintamente do amor do dinheiro como meio de obter os prazeres e realidades da vida – será reconhecido pelo que é, uma morbidez um pouco repugnante, uma destas propensões semicriminais, semipatológicas que entregamos com um tremor aos especialistas em doenças mentais”. Continue reading “O valor econômico do tempo livre”

O sistema está funcionando

Em São Paulo a tarifa de ônibus vai aumentar e, não fosse isso uma paulada suficiente, vem outra: a Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo decidiu cobrar 8,56% a menos do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores. O famoso IPVA.

É isso que eu chamo de afirmação de prioridades: o lance é desestimular violentamente o transporte coletivo e empurrar o carro goela abaixo, usando de expedientes mais e mais sedutores. Mas é cilada pura: o camarada vai ficar preso no trânsito, perdendo horas de sua e tirando da vida dos outros (muitas vezes perdendo a sua vida e tirando a vida dos outros). E o transporte coletivo vai ficando cada vez mais distante da esfera do direito, largado como uma mercadoria. Pior, uma mercadoria de quinta categoria e de propósito. Continue reading “O sistema está funcionando”

[Não tem dinheiro pra tarifa zero?] Presidenta comenta investimentos em mobilidade urbana no país

A presidenta da República, Dilma Rousseff, aproveitou sua coluna semanal para detalhar os investimentos em transporte público para a Copa do Mundo de 2014 e sobre as ações do PAC Mobilidade Urbana. Em resposta a um estudante de Aracaju que tinha dúvidas sobre o tema, a presidenta comentou que há ações expressivas para melhorar o transporte coletivo no Brasil, em parceria com estados e municípios.

“O PAC Mobilidade Grandes Cidades, por exemplo, vai investir R$ 32,7 bilhões em 51 municípios com mais de 700 mil habitantes. São obras como a construção de metrôs, Veículos Leves sobre Trilhos e corredores de ônibus, que vão beneficiar mais de 53 milhões de brasileiros”, disse a presidenta. Continue reading “[Não tem dinheiro pra tarifa zero?] Presidenta comenta investimentos em mobilidade urbana no país”

E desdobra-se a vida

Sempre damos um jeito de argumentar que o aspecto fundamental do transporte está nos hifens de transição do modelo “casa-escola/trabalho-casa”. Ou seja, que o transporte é elo vital para o acontecimento dinâmico da vida, numa dimensão maior do que a das obrigações produtivas, apesar desta ser inegável. Também defendemos reiterada e repetidamente que a transformar em realidade o sonho de um transporte gratuito, acessado por todos, em qualquer lugar, em qualquer hora e custeado pelas classes favorecidas que se beneficiam dele, é uma questão política, não técnica.

Pois foi isso que, indiretamente, argumentou o arquiteto Paulo Mendes da Rocha, em entrevista à Revista Brasileira de Psicanálise (vol. 46, nº 2, 2012). Saca só: Continue reading “E desdobra-se a vida”

[Não tem dinheiro pra tarifa zero?] Convênios e repasses federais renderão verba extra de R$ 1 bilhão a Haddad

da Agência Estado

Com o petista Fernando Haddad na Prefeitura de São Paulo, o orçamento municipal terá um bônus de cerca de R$ 1 bilhão em 2013. O recurso extra será previsto em novos repasses e convênios que devem ser celebrados com o governo federal, segundo calcula a equipe de transição. A previsão é de que a verba da União para a capital mais que dobre em relação a 2012. Quatro áreas essenciais serão contempladas: saúde, educação, transportes e habitação. Continue reading “[Não tem dinheiro pra tarifa zero?] Convênios e repasses federais renderão verba extra de R$ 1 bilhão a Haddad”

Os benefícios cotidianos da gratuidade e as falsas soluções para a crise do financiamento

Abaixo, matéria do G1 sobre os impactos positivos da gratuidade do transporte na vida de quem já o recebe (neste caso, os idosos) e a aparente contradição que isto provoca dentro do sistema, já que o restante dos usuários são prejudicados, pois o custo é incorporado ao valor da tarifa integral. Esta é uma falsa contradição e não precisamos entrar em disputas por migalhas, como faz o MDT e suas propostas de redução das tarifas a partir do não-recolhimento dos impostos das empresas de transporte. Se, como eles também defendem, as gratuidades existentes devem ser financiadas pelo poder público (desonerando os usuários pagadores de tarifa), por que não estender o raciocínio para todo o sistema? Afinal, como eles próprios admitem, não são os usuários os maiores beneficiados pelos deslocamentos na cidade, mas a cadeia produtiva, a economia… enfim, a classe que representa estes interesses. Quem deve pagar a conta, então? Por que insistir em não tratar a questão dentro da esfera dos demais direitos essenciais e, portanto, de acesso igual para todos e todas? A quem interessa manter o sistema sob responsabilidade direta dos usuários (trabalhadoras, estudantes, as classes pobres) e optar por um caminho que afastará o transporte coletivo do seu fim público e, de quebra, dará sobrevida econômica ao setor privado explorador do mesmo?

@camarada_d

Gratuidade assegura direito de ir e vir e promove inclusão social em SE

Mais de 33 mil usuários do transporte público têm direito à gratuidade.
Aos 65 anos, idosa sem renda fixa, comemora a conquista do benefício.

Um benefício sonhado por vários anos e que somente agora pode ser conquistado pela autônoma Mercedes Vieira Nero, de 65 anos. A idosa, que não possui renda fixa, vive do seu trabalho como costureira em um ateliê montado em sua própria casa no Conjunto Marcos Freire II, em Nossa Senhora do Socorro (SE), na região metropolitana de Aracaju. E como para muitos trabalhadores, que não possuem carteira assinada, os custos com o transporte público pesavam, e muito, na renda da chefe de família, que criou sozinha os filhos após ter ficado viúva. Continue reading “Os benefícios cotidianos da gratuidade e as falsas soluções para a crise do financiamento”

Pela municipalização do transporte em São Paulo

O futuro secretário de Transportes de São Paulo, Jilmar Tatto, declarou à Folha de S. Paulo que se dedicará à renovação de contrato das empresas privadas que operam o sistema de transporte.

Além do mais, já está claro que haverá um novo aumento nas tarifas de ônibus e, por isso, o Movimento Passe Livre já está convocando uma manifestação no dia da votação do orçamento da cidade para 2013 (saiba mais sobre ela clicando aqui).

Esse é um belo momento para lembrarmos ao futuro novo prefeito, Fernando Haddad (PT) e o seu secretário que o sistema de transporte é estratégico para o funcionamento da cidade e, por isso, não pode ficar nas mãos de empresas que o tratam como mercadoria – por consequência, em oposição ao seu sentido público. Continue reading “Pela municipalização do transporte em São Paulo”

A catraca: uma questão estética

por Legume Lucas

Participei na semana retrasada da oitava semana de luta pelo Passe Livre. Na manifestação deste ano em lembrança ao dia nacional do passe livre, dia 26 de outubro, me dediquei apenas a uma tarefa: carregar e proteger a catraca, o símbolo do MPL. Em São Paulo temos, há alguns anos, uma catraca de ônibus comprada em um ferro velho. Como cuidador da catraca, eu, com ajuda de outros militantes, tive que: enrolá-la com jornal e gase, comprar o querosene, carregá-la durante o ato, jogar e por fogo nela. Enquanto os militantes mais novos organizavam o jogral, negociavam com a polícia, cuidavam do trajeto, panfletavam, pude fazer reflexões sobre as mudanças e incorporação de significados que este símbolo provocou dentro do coletivo e para os paulistanos que conhecem de longe ou de perto as manifestações pelo Passe Livre. Continue reading “A catraca: uma questão estética”