Combustível para a luta de classes

Em 2010, enquanto preparava terreno para sua sucessora na presidência da república, Dilma Rousseff, o ex-presidente Lula fez um discurso muito revelador de suas contradições políticas. Era um comício voltado para trabalhadores do Complexo Petroquímico do Rio em Itaboraí, e Lula incentivou à aquisição em massa de automóveis particulares afirmando que “os que defendem investimentos em metrô e trens querem que o pobre deixe a rua livre para eles. Eu quero que o pobre tenha carro também”.

O revelador no discurso fica por conta da habilidade de Lula em conciliar interesses, parecendo ao mesmo tempo afagar a ampla maioria da população – vista agora como pelo menos retoricamente igual em possibilidades –, e a elite, representada ali pela indústria do automóvel. Discordei e sigo discordando desta visão de igualdade via consumo por achar que, primeiro, não se trata de igualdade enquanto houver desigualdade econômica e política e, segundo, porque me parece melhor pensar que diminuição de desigualdade deve passar tanto pelo acesso ao consumo quanto pelo acesso aos direitos essenciais. Neste caso, defendendo o deslocamento nas cidades como um direito através de um sistema de transporte abundante, gratuito e de qualidade, onde a maioria da população não arcaria com a maior parte do custeio, cobrado dos setores mais ricos e que se beneficiam do vai e vem de estudantes, trabalhadores e consumidores. Continue reading “Combustível para a luta de classes”

Esse menino entende mais de ponto de ônibus que a prefeitura de São Paulo

Fiz essa foto no começo de março, sem saber que dentro de pouco tempo a prefeitura de São Paulo começaria a instalar novos pontos de ônibus em áreas ricas da cidade. Esses novos pontos foram desenhados pelo designer carioca Guto Índio da Costa, devem ter custado um monte de dinheiro público e: 1. não informam quais ônibus passam ali; 2. não informam horários dos ônibus; 3. não informam itinerários dos ônibus; 4. são feitos de vidro e não protegem do sol; Continue reading “Esse menino entende mais de ponto de ônibus que a prefeitura de São Paulo”

[SP] 1º Fórum Popular de Transportes do Fundão – M’Boi Morim

Movimento Passe Livre São Paulo e SOS Transportes M’Boi Mirim convidam toda população da região do Ângela e fundão para o 1º Fórum Popular de Transportes do Fundão da M’Boi! Dia 9, às 14h, no CEU Vila do Sol (na av. dos Funcionários Públicos, Jd. Vera Cruz). Tema: “Quem manda no transporte público?”.

Com participação de Lúcio Gregori, secretário de Transportes de São Paulo na gestão Luiza Erundina e elaborador dos projetos da Tarifa Zero e Municipalização dos ônibus.

Venham discutir os problemas do transporte na região e na cidade! Chega de andar a pé, chega de andar feito uma lata de sardinha!

[Não tem dinheiro pra tarifa zero?] Governo de Mato Grosso gastará R$ 127 milhões em obras de “mobilidade urbana”

Lição de hoje: dar novos nomes para fazer velhas práticas soarem bem. Mobilidade urbana agora é a senha para justificar a antiga política de sempre: construir as cidades para uso dos automóveis e favorecer empreiteiras em obras com o dinheiro de todos e todas. O deslocamento de massas e a noção de direito tão fora. Notícia que vem do Mato Grosso:

Governo Estadual abriu crédito suplementar para atender a demanda na área de transporte e mobilidade urbana no valor de R$ 127.643.296,19 (cento e vinte e sete milhões, seiscentos e quarenta e três mil, duzentos e noventa e seis reais e dezenove centavos) que será gerido pela Secretaria de Estado de Transporte e Pavimentação Urbana (SETPU).

Esse valor será aplicado na modernização da infraestrutura aeroportuária, pavimentação e recuperação de vias urbanas, construção de pontes definitivas de Concreto, pavimentação de rodovias e elaboração de estudos e projetos de infraestrutura de transportes rodoviários.

Retirado de http://www.circuitomt.com.br/editorias/cidades/26771-governo-abre-credito-suplementar-para-aplicacao-em-transporte.html

 

Ônibus gratuito

por Marcelo Miterhof, economista do BNDES

A coluna passada tratou dos lentos avanços no transporte coletivo, o que é em certa medida surpreendente, pois, dado seu impacto sobre o bem-estar cotidiano da população, boas iniciativas no setor são recompensadas eleitoralmente. Continue reading “Ônibus gratuito”