Passe livre já no Ocupe Estelita

No último domingo, 28 de abril, o fotógrafo Chico Lacerda estimulou que as pessoas participantes do evento que celebrava um ano de protestos contra o Novo Recife (projeto de construção de 16 torres empresariais de 40 andares na área do Cais José Estelita) manifestassem seus desejos para a cidade do Recife diante de um muro com esse lambe-lambe gigante. O ex-BBB Aslan Cabral, já referenciado em outro post desta coluna, pediu passe livre já!

[São Paulo] Estação Água Branca da CPTM, 23 de abril de 2013, 18h47

Foto: Artur Oliveira
[clique na imagem para ampliar]

O objetivo da seção cotidiano do TarifaZero.org é apresentar uma outra faceta da luta por um transporte que seja público de verdade, mostrando detalhes dos dramas – e também das alegrias – de quem anda de ônibus, trem ou metrô. Queremos contribuir para despertar um sentimento de comunidade esolidariedade entre as pessoas que usam o transporte coletivo. Queremos estimular os leitores e as leitoras a se reconhecerem nas imagens, áudios e vídeos que aqui serão publicados e perceber que somos muitos. Juntos, podemos transformar esse cotidiano radicalmente. Nossa luta pela tarifa zero e pelo transporte público é objetiva e coletiva, mas justificada na subjetividade do impacto que as políticas de transporte provocam em cada indivíduo. Continue reading “[São Paulo] Estação Água Branca da CPTM, 23 de abril de 2013, 18h47”

Entrevista com a Frente Autônoma, do Bloco de Luta pelo Transporte Público de Porto Alegre

por MPL Joinville

Desde o início do ano, o Sindicato das Empresas de Ônibus (Seopa) e a prefeitura de Porto Alegre, vinham se articulando para aumentar o preço da passagem da capital gaúcha. A partir de então, o Bloco de Luta pelo Transporte Público organizou diversas manifestações contra o aumento, que ganharam ainda mais força com o posicionamento do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e do Ministério Público, que viam irregularidades no cálculo da tarifa. Ainda assim, a prefeitura concedeu o reajuste, aumentando a tarifa de R$ 2,85 para R$ 3,05. A resposta a esse verdadeiro assalto a população veio nas ruas, na forma de mais manifestações, cada vez maiores, chegando a reunir quase 10 mil pessoas. A pressão popular culminou na revogação do aumento por uma liminar da Justiça.

Porém, a luta não terminou. As empresas ainda podem recorrer da decisão, e o Bloco de Luta pelo Transporte Público permanece mobilizado, para impedir isto e para avançar ainda mais nas pautas, que hoje são a diminuição da tarifa para R$ 2,60 e a abertura das contas das empresas. Continue reading “Entrevista com a Frente Autônoma, do Bloco de Luta pelo Transporte Público de Porto Alegre”

[São Paulo] MPL: Reflexões sobre o Bilhete Mensal

por Movimento Passe Livre São Paulo

Para o pobre dificuldade é a real
A liberdade dos carros correndo na radial
Quem não pode faz um investimento mensal
Uma cota considerável quando soma o total

Rincon Sapiência, “Transporte Público”

O transporte público em São Paulo sempre se organizou ao redor da jornada de trabalho: o sistema funciona basicamente para levar e trazer as pessoas do emprego. As linhas de ônibus existem em função desse movimento periferia-centro, centro-periferia, no início da manhã e no fim da tarde – quando todos os ônibus saem das garagens. O único momento e o único itinerário de circulação pela cidade é, na maioria das vezes, o deslocamento para o trabalho. O Vale Transporte consolida essa lógica: só garante ao trabalhador a condução para o serviço. Levar os filhos ao hospital, visitar a mãe em outro canto da cidade, aproveitar os parques, os cinemas, os teatros, fazer compras, tudo isso está fora daquela garantia. Continue reading “[São Paulo] MPL: Reflexões sobre o Bilhete Mensal”

Nota do MPL SP contra o corte de linhas na Cidade Universitária

por Movimento Passe Livre São Paulo

Contra o corte de linhas na cidade universitária

Transporte é uma necessidade básica: dependemos dele diariamente para viver e nos deslocar pela cidade (ir e voltar da universidade, por exemplo). É por isso que o transporte coletivo deveria ser um serviço verdadeiramente público, de acesso universal e entendido como um direito. Mas a realidade é outra: controlado por empresas privadas, o sistema de ônibus em São Paulo hoje funciona como um negócio muito lucrativo. Isso fica visível nos altos preços das tarifas, que só aumentam; mas não para por aí. Toda organização do sistema é planejada para favorecer o lucro dos empresários, e nunca as necessidades dos usuários. O que está acontecendo na Cidade Universitária é um exemplo disso. Continue reading “Nota do MPL SP contra o corte de linhas na Cidade Universitária”