O comércio e a tarifa zero

Esta notícia não acabou de sair do forno, mas achei importante não deixar de publicá-la aqui pelo grau de clareza sobre como o comércio e os capitalistas tiram proveito do transporte coletivo. Como os ajuda a aumentar a produção e o consumo do que foi produzido e fazer seu negócio prosperar. Sem transporte coletivo poucos chegam às fábricas e às lojas e a cada dia mais setores da sociedade percebem que a alternativa individual do automóvel não é viável – seu uso exagerado traz prejuízos para as pessoas, a cidade e também para o comércio (exemplo: Prejuízo com engarrafamento no Rio de R$ 29 bilhões em 2013).

Se durante uma paralisação ou greve de ônibus isto já ficava suficientemente claro (reparem como são sempre dirigentes das câmaras de comércio ou de lojistas a manifestar preocupação com as paralisações) neste caso o exemplo é pedagógico. Após o fim de um período de tarifa zero no transporte coletivo de Santa Bárbara d’Oeste, SP, os lojistas sentiram o impacto econômico negativo ante os ganhos durante o período de transporte sem tarifa. Recomendo a breve leitura da notícia para compreensão do mecanismo de pensamento dos caras.

No último parágrafo, no entanto, valeria a pena responder a questão colocada pela prefeitura que, em nota, se posicionou desta forma: “Desde que foi implantada, a medida superou as expectativas, pois aumentou o fluxo de pessoas nos principais eixos comerciais e trouxe para o sistema um público que antes não utilizava o transporte coletivo. A administração municipal estuda alternativas para que o benefício volte a vigorar”.

A alternativa é criar um fundo de transporte a partir de recursos cobrados desse setor diretamente beneficiado pelo transporte coletivo do ponto de vista econômico.

@camarada_d

Fim de ônibus gratuito aos sábados gera prejuízo a passageiros e lojistas

Medida vigorou entre janeiro de 2013 e o último sábado em Santa Bárbara.
Tarifa zero acabou após Câmara barrar repasse de verba a concessionária.

Moradores de Santa Bárbara d’Oeste (SP) reclamam do fim do benefício que garantia tarifa zero para andar de ônibus aos sábados na cidade. Comerciantes da área central também se queixam de queda de até 15% nas vendas, uma vez que um dos objetivos da medida era incentivar os consumidores a irem ao Centro. Outra intenção era diminuir o tráfego de veículos e, dessa forma, reduzir as chances de congestionamento.

A tarifa zero do transporte público aos sábados vigorou de janeiro de 2013 até o último sábado (21). O benefício foi cancelado após a Câmara rejeitar um projeto de lei que previa o repasse de R$ 95 mil por mês à concessionária responsável pelo sistema para a manutenção do desconto. A tarifa normal de ônibus custa R$ 2,40. A Prefeitura informou que estuda alternativas para que a tarifa zero volte a vigorar.

O presidente da Associação Comercial e Industrial de Santa Bárbara (Acisb), João Batista de Paula Rodrigues, disse em entrevista à EPTV que em apenas uma semana as vendas caíram 15%, principalmente em lojas do Centro e da zona leste do município. “Nossa preocupação é que o movimento caia mais”, afirmou. “O Centro está vazio”, relatou Osmar do Carmo, gerente de uma loja de calçados.

Durante o período de vigência da tarifa zero, 12 mil pessoas, em média, utilizavam o transporte públicos aos sábados. Após o fim do benefício, o número caiu para 8 mil, de acordo com números da Prefeitura. Santa Bárbara tem uma frota de 126 mil veículos emplacados na cidade.

Concessionária e Prefeitura
A empresa Sertran, concessionária do transporte em Santa Bárbara, informou que não tem condições de custear a continuidade do benefício. A Prefeitura, por meio de assessoria de imprensa, relatou que estuda formas para que o projeto seja retomado, mas não revelou detalhes.

“Desde que foi implantada, a medida superou as expectativas, pois aumentou o fluxo de pessoas nos principais eixos comerciais e trouxe para o sistema um público que antes não utilizava o transporte coletivo. A administração municipal estuda alternativas para que o benefício volte a vigorar”, relatou o Executivo em nota oficial.

Retirado de http://g1.globo.com/sp/piracicaba-regiao/noticia/2014/06/fim-de-onibus-gratuito-aos-sabados-gera-prejuizo-passageiros-e-lojistas.html