10 anos da Revolta da Catraca

por Carol Cruz

Este é um texto bem pessoal, baseado quase que completamente na memória afetiva, por isso peço antecipadamente desculpas por prováveis imprecisões. Foi também escrito às pressas, a guisa de homenagem e rememoração do aniversário de 10 anos da Revolta da Catraca de Florianópolis, SC. Não vou me aprofundar sobre o que foi este evento que marcou de modo ímpar a vida na cidade e colocou definitivamente a reivindicação de um transporte coletivo público e de qualidade na pauta política de Florianópolis, sobre tudo na de seus movimentos sociais1. Aqui eu escrevo um pouco sobre a sua importância para a formação de um grupo específico, o MPL- Floripa – uma das origens do Movimento do Passe Livre, que se encontra hoje em diversas cidades do país e que ano passado foi fundamental para recolocar o tema do transporte coletivo no debate político nacional. Continue reading “10 anos da Revolta da Catraca”

Cidade alemã tenta atrair motoristas com transporte público de graça

A cidade alemã Leipzig sacou que a gratuidade do transporte pode ser uma boa forma de diminuir o número de carros nas ruas. Durante quatro dias irá oferecer transporte público gratuitamente para seus motoristas, com o intuito de incentivá-los a deixarem seus carros na garagem. O preço do petróleo, o trânsito caótico e as emissões de gases que causam efeito estufa estão entre os motivos usados para convencê-los. As empresas de transporte público se juntaram para oferecer o que eles chamam de uma melhor opção para os cidadãos: “É porque nos podemos oferecer uma verdadeira alternativa que estamos dizendo aos motoristas deixarem seus carros em casa e subirem no transporte público” – disse o Sr. Ulf Middelberg do Leipzig Transport Service (Serviço de Transportes de Leipzig).

“Aqueles que nos usam regulamente já tomaram a decisão correta. Agora gostaríamos de convidar os motoristas a nos usaram por quatro dias depois da páscoa, sem gastos e sem stress”. Para embarcar gratuitamente durante esses dias, basta que as pessoas, ou famílias, apresentem o documento de seus veículos. Quem sabe eles não se animam a seguir o exemplo de Tallinn, Estônia, e resolver de uma vez por todas esse problema.

Fonte: http://www.straitstimes.com/BreakingNews/World/Story/STIStory_787240.html

Em busca da tarifa zero: FreeBus – Bristol, Inglaterra

É, parece que a luta pela gratuidade do transporte coletivo é realmente internacional. Há um grupo de ingleses que encontrou uma forma bastante criativa de fazê-la: o FreeBus. Tudo começou em meados de 2010, em Bristol, quando um pequeno grupo de pessoas imaginou um sistema transporte comunitário sem fins lucrativos e que oferecesse um serviço de qualidade a um preço acessível para seus moradores. Entusiasmados e dispostos a a estimular o debate sobre transporte público na cidade, jogaram essa ideia na rede criando o site: www.freebus.org.uk . No dia 28 de julho do mesmo ano eles realizaram sua primeira reunião, da qual participaram cerca de quarenta pessoas, entre elas alguns motoristas de ônibus da região. A reação ao projeto foi muito positiva, e em apenas duas semanas chegaram a arrecadar mais de mil euros para dar o ponta pé inicial. Assim o FreeBus foi registrado como uma companhia limitada por um regimento beneficente, e o projeto foi lançado oficialmente no dia 27 de outubro.

Continue reading “Em busca da tarifa zero: FreeBus – Bristol, Inglaterra”

Sindicalistas e estudantes protestam contra tarifa de ônibus no RS

Sindicalistas, universitários e estudantes secundaristas se mobilizam pela redução da passagem de ônibus em Porto Alegre.

Na noite de segunda-feira (27), uma manifestação em frente à prefeitura acabou em tumulto, com policiais e manifestantes trocando agressões.

A confusão começou após a tropa de choque da Brigada Militar (a PM gaúcha) cercar a entrada do prédio da prefeitura. Contêineres de lixo foram incendiados, e lâmpadas e o piso de mármore do edifício foram quebrados, de acordo com a administração. Ninguém foi preso.

O movimento aproveita a volta às aulas no Estado para reforçar a mobilização. Ontem, o protesto começou em frente a um colégio estadual na região central da cidade.

Um sindicato de funcionários dos Correios, movimentos sociais e o diretório dos estudantes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul também participaram.

Após a confusão em frente à prefeitura, os manifestantes já articulam novos protestos contra o aumento das passagens. A convocação é feita por meio de redes sociais.

O valor da passagem em Porto Alegre subiu para R$ 2,85 no começo do mês. Os manifestantes reclamam que o preço está entre os mais caros entre as capitais.

 

Retirado de: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1054825-sindicalistas-e-estudantes-protestam-contra-tarifa-de-onibus-no-rs.shtml

[Dia D – Joinville, SC] Chuva inviabilizou o ato marcado para hoje

Foto de Cleber Gomes.

A foto é do terminal central de ônibus de Joinville hoje, dia 9 de fevereiro de 2012. A chuva impossibilitou que a manifestação ocorresse e que as pessoas voltassem para suas casas. Como disse o companheiro Beavis, do Movimento Passe Livre de Joinville: “De fato São Pedro não é revolucionário”. Eu costumava achar o contrário, em Floripa os nossos melhores atos aconteceram de baixo de muita chuva, mas assim realmente não dá. Força Joinville!

 

Relembrar é viver (e resistir!)

Hoje as pontes Colombo Salles e Pedro Ivo Campos, que ligam a Ilha de Santa Catarina ao continente, param assim:

Foto: Débora Klempous

(Foto: Débora Klempous)

Mas elas já pararam assim (Revolta da Catraca, 2004):

(Foto: Jorge Minella)

Embora em todas manifestações o grito “Ponte! Ponte!Ponte” seja puxado em algum momento, e nós de fato morramos de vontade de voltar a ocupá-las desta forma, no fundo  desejamos que num futuro não muito distante elas não parem mais (e nem que se construam mais pontes!). Que elas sirvam de pista para diversas modalidades de transporte público e com tarifa zero. Já pensou:  ônibus e pontes sem catracas?

(Arte: Dedé)

[Floripa] Como anda a mobilidade de que quem mora na Vila do Arvoredo?

Neste domingo, 19 de junho, o MPL-Floripa e integrantes da associação de moradores deram início à aplicação dos questionários sobre a situação do transporte coletivo para os moradores e moradoras da Vila do Arvoredo.

Foi uma experiência legal, já passamos por 49 casas. São 168 famílias que moram lá. Identificamos alguns problemas no questionário, mas vamos corrigindo no processo!

Esperamos em breve compartilhar nossas primeiras impressões.

 

Segue o questionário aplicado: Questionario_arvoredo

[Floripa] Tarifa Zero na Vila do Arvoredo

por Carol Cruz

As pessoas acham engraçado, mas eu realmente sonho com o dia que teremos tarifa zero. Fico me imaginando sair tranquilamente de casa, caminhando até um ponto de ônibus que realmente proteja do sol e da chuva, que tenha bancos confortáveis e no lugar das propagandas os horários e itinerários dos ônibus que passam por ali. Eles poderiam ser até superdivertidos, temáticos, com placas solares para garantirem a energia dos painéis interativos ou com contagem regressiva para o próximo ônibus. São tantas possibilidades. Minha imaginação voa: como seria uma cidade sem carros particulares? Uma cidade de calçadas largas, aonde as vias fossem imensas ciclovias?…

A luta que o Movimento Passe Livre faz pela Tarifa Zero, embora implique em exigir que se devolva o controle e responsabilidade do transporte coletivo ao poder público enquanto um direito social, é uma luta que extrapola o simples fato do usuário não ser mais o único a pagar o custo do transporte por meio da tarifa. Quando falamos em tarifa zero estamos falando em levar até as últimas consequências o nosso direito de ir e vir. Estamos levando muito a sério nosso direito de participação política na construção e cuidado da nossa cidade. Estamos falando em uma cidade mais justa, mais livre e mais democrática. O que sustenta nossa bandeira Tarifa Zero é a vontade de mudar tudo, como diz nosso amigo Lúcio Gregori. E tudo nos diz que não somos os únicos. Continue reading “[Floripa] Tarifa Zero na Vila do Arvoredo”