Espaço Público entrevista Lúcio Gregori

O autor do projeto tarifa zero, hoje inspiração do Movimento Passe Livre (MPL), Lúcio Gregori é o entrevistado desta terça-feira (26/01) no programa Espaço Público, que vai ar pela TV Brasil, às 23h. Engenheiro civil, Gregori coordenou a elaboração da proposta quando era secretário dos Transportes da então prefeita paulistana Luiza Erundina – à época, no começo da década de 1990, no PT. A ideia era a prefeitura de São Paulo bancar o custo com o aumento do IPTU nas áreas mais valorizadas da cidade.

A partir do início dos anos 2000, manifestantes começaram a se organizar e a ir às ruas em defesa do transporte público gratuito. Já em 2003, houve a Revolta do Buzú, na capital baiana. Em 2004 e 2005, foi a vez da Revolta da Catraca, em Florianópolis. Ainda em 2005, surgia o MPL, fundado durante o Fórum Social Mundial, em Porto Alegre. Às vésperas da Copa do Mundo no Brasil, em 2013, os protestos espalharam-se pelo país e puseram a tarifa zero no centro dos debates nacionais. Continue reading “Espaço Público entrevista Lúcio Gregori”

Tales Ab’Saber sobre direito à cidade, Movimento Passe Livre e a crise do capital no Brasil

Em sua fala no seminário Cidades Rebeldes, organizado pela Editora Boitempo, em especial nos comentários, o psicanalista Tales Ab’Saber cita como referência a luta do Movimento Passe Livre pela socialização do transporte e o direito à cidade.

“(…) este movimento está tentando formular, no caso do Movimento Passe Livre isso é claro, alguma demanda de caráter universal e socializante. Livre acesso ao transporte público numa cidade como São Paulo e no Brasil é uma demanda para todos e é uma transformação na relação de classes no interior da cidade, e de salário, isso imediatamente significaria ganhos para a classe trabalhadora.”

Tarifa zero | Clessio Mendes & Junia Guedes | TEDxBeloHorizonte

Em março de 2014 o governo de Paris anunciou a adoção da tarifa zero como medida emergencial para minimizar a poluição da cidade. Em Barcelona, 50% da receita do transporte coletivo é subsidiada pela prefeitura. É consenso no mundo todo que o transporte público é um direito fundamental como a educação, a coleta de lixo, a energia elétrica, entre outros. Por que então o Brasil adota mecanismos de cobrança tão diferentes para serviços essenciais? Essa é a pergunta fundamental do Tarifa Zero BH, um projeto de política pública que faz parte de um movimento internacional e pretende democratizar o acesso ao transporte sem a cobrança direta ao usuário final, mas a partir do orçamento público. Continue reading “Tarifa zero | Clessio Mendes & Junia Guedes | TEDxBeloHorizonte”

A rebeldia compensa!

Fala de Lúcio Gregori na abertura do evento Cidades Rebeldes no dia 9 de junho de 2015, a partir de 1 hora e 10 minutos.

“A rebeldia compensa. É uma conclusão que cheguei clara e firmemente depois de 2013. Compensou pela revogação do aumento da tarifa em mais de cem cidades. Mas tem outros exemplos que mostram que ela compensa porque o aparato político brasileiro dos partidos, inclusive os de esquerda, não está preparado para absorver a rebeldia, para entender e lidar com a rebeldia. Existe um movimento chamado Rede Butantã, que fez um grupo de mobilidade, e que fez um projeto detalhado do sistema de transporte coletivo desejado pela população naquele local. E protocolou esse estudo, através de debates na subprefeitura, na secretaria dos Transportes etc. Que resposta teve? Nenhuma! O aparato formal da participação popular no Brasil não sabe lidar com isto. Mas na outra ponta, o movimento de transporte Extremo Sul, associado ao Movimento Passe Livre, no fundão da Zona Sul de São Paulo, Marsilac e tantos outros lugares, fez uma rifa, com esta rifa contratou um transporte coletivo à tarifa zero que serviu à população durante um tempo. E mais, interviram, interrompendo uma aula que o prefeito de São Paulo dava na Universidade de São Paulo, pelo que foram seguramente muito criticados por muitos, por fazer um ato dessa natureza, convenceram o prefeito a ir a Zona Sul, ele foi, e como resultado disso a prefeitura vai criar uma linha de transporte coletivo. E mais, vai criar uma linha de transporte experimental por 180 dias à tarifa zero! Conclusão: a rebeldia compensa!”

 

Aula pública no Anhangabaú: Tarifa Zero já!

por Movimento Passe Livre São Paulo

Um dia antes de entrar em vigor a nova tarifa de R$3,50, decretada por Haddad e Alckmin, centenas de pessoas se reuniram para participar de uma aula pública sobre transportes no centro da cidade. O evento, marcado para em frente à Prefeitura, mudou para debaixo do Viaduto do Chá devido à chuva.

Esteve presente Lúcio Gregori, engenheiro que foi Secretário de Transportes de São Paulo no início dos anos 1990 e trabalhou, na época, na elaboração de um projeto de Tarifa Zero e municipalização dos ônibus da capital. A Tarifa Zero se mostrou perfeitamente viável do ponto de vista técnico e econômico, mas não foi implementada por falta de vontade político. Continue reading “Aula pública no Anhangabaú: Tarifa Zero já!”

Entrevista com o professor Werner Kraus, sobre o trasporte público de Florianópolis

Entrevista com o professor Werner Kraus, sobre o trasporte público de Florianópolis. from Vinicius (Moscão) on Vimeo.

por Vinicius Possebon

Entrevista com o professor Werner Kraus Junior sobre o aumento das tarifas em Florianópolis, construção do teleférico e sobre a proposta de tarifa zero.

Werner Kraus Junior é professor no Departamento de Automação e Sistemas da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e dedica-se à pesquisa em engenharia de tráfego, principalmente nos temas ligados ao transporte público.

Sucinto



Em menos de um minuto o Khaled, do MPL Floripa, resumiu muitas das questões centrais em jogo nessa caminhada rumo à tarifa zero. Uma entrevista atemporal, pelo menos até conquistarmos o novo modelo de transporte voltado para a vida da população e não para os negócios.

Tarifa Zero e mobilidade sustentável

Palestra proferida no dia 12 de julho de 2013, às 19h, no auditório da Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal da Bahia — UFBA

Destaques para a fala de Caio Ferreira (aos 25 minutos), do Movimento Passe Livre São Paulo, e Luiza Erundina (aos 38 minutos), deputada federal e ex-prefeita de São Paulo (1989-1993), gestão que formulou o Projeto Tarifa Zero.

[Floripa] A trajetória do Colégio de Aplicação no Movimento Passe Livre

Trabalho anual de geografia realizado pelas alunas Fabiane Becker Facco e Mariana D’El Rei Martins, do Colégio de Aplicação da UFSC, que retrata o envolvimento do mesmo no Movimento Passe Livre. Novembro de 2013- Florianópolis/SC

Pequenas, mas importantes, correções no conteúdo do excelente trabalho das alunas do Aplicação: a Campanha pelo Passe Livre de Florianópolis, um dos alicerces para a formação do Movimento Passe Livre, iniciou sua luta pelo passe livre estudantil em 2000, três anos antes da Revolta do Buzu de Salvador, fundamental referência para o que veio a ser o MPL, mas que não pode ser confundido como Movimento Passe Livre.

[São Paulo] Túnel Av. Paulista – Dr. Arnaldo: vídeo do ato por Tarifa Zero de 19/6

clique aqui se preferir ver diretamente no Vimeo, em janela maior

Comemorando um ano da revogação do aumento de 20 centavos nas tarifas de ônibus, trem e metrô na cidade de São Paulo, o Movimento Passe Livre realizou um ato por TARIFA ZERO e pela readmissão de 42 metroviários, demitidos por terem feito greve parcial. O ato aconteceu durante um dos jogos da Copa do Mundo mas, no lugar do mote “Não vai ter copa”, o movimento propôs a frase “Não vai ter tarifa”. Este pequeno vídeo mostra um dos momentos da manifestação.

Por uma vida sem catracas, MPL | SP


 

A história e as ações do Movimento do Passe Livre – SP. Um desdobramento do A Partir de Agora – as Jornadas de Junho no Brasil.

Direção, roteiro e concepção: Carlos Pronzato
Direção de produção: Cristiane Paolinelli
Edição: Juca Badaró
Edição: abertura, teasers e pesquisas de imagens adicionais: Richardson Pontone
Trilha: Apanhador Só – “Feliz 2014” , El Efecto – “Pedras e sonho” , Anthrax “in to the end”

Realização: Lamestiza Audiovisual

Brasil, fevereiro de 2014.