A notícia que gostaríamos de ler: “Haddad retoma o para o poder público o sistema de transporte”

Como disse Luiza Erundina em janeiro de 1989 no discurso publicado aqui ontem: “só haverá uma solução definitiva do problema dos transportes coletivos quando esse serviço for inteiramente municipalizado, e a Prefeitura, junto com o povo, puder exercer seu controle total sobre essa atividade essencial de uma grande metrópole.”

Haddad, mais controle público, não o contrário, é o que apontará para a socialização do transporte coletivo em São Paulo.

Haddad transfere para empresas 29 terminais de ônibus

A gestão Fernando Haddad (PT) se valeu de um trecho do contrato de concessão do sistema de transportes de 2003 – que nunca foi aplicado – e, sem nenhuma publicidade nem debate, repassou a gestão dos 29 terminais de ônibus da cidade às concessionárias que operam os coletivos da São Paulo Transporte (SPTrans). Os terminais estão sendo operados pelas empresas desde o mês passado. Continue reading “A notícia que gostaríamos de ler: “Haddad retoma o para o poder público o sistema de transporte””

Um edital que interessa a todos os paulistanos

edital-licitacao-onibus-carol

Por Márcia Gregori*

No dia 8 de julho, foi aberto para consulta pública, pelo prazo de um mês, o edital de licitação dos contratos de ônibus de São Paulo. O prazo foi estendido por mais três semanas – até 31 de agosto – por pressão de várias entidades e grupos, entre os quais a Rede Nossa São Paulo, o Greenpeace e o GT Mobilidade Urbana da Rede Butantã. No entanto, ofuscado pela inócua discussão sobre a velocidade nas marginais, o edital não está sendo discutido com a profundidade e a dedicação que o tema exige e merece.

O documento é bastante complexo, com milhares de páginas divididas em vários anexos diferentes, redigidos numa linguagem altamente técnica e difícil para o cidadão comum se aprofundar, sobretudo em tão pouco tempo. Apesar dessas dificuldades, alguns grupos e pessoas têm se dedicado a ler e discutir o material. Afinal, trata-se do principal meio de transporte na cidade de São Paulo e da principal forma de locomoção de milhões de pessoas. É fundamental, portanto, que os novos contratos valorizem e priorizem, antes de qualquer outro aspecto, o usuário do sistema. Continue reading “Um edital que interessa a todos os paulistanos”

Para não confrontar empresários, Haddad tenta desqualificar MPL

por Toninho Vespoli, vereador de São Paulo pelo PSOL

Recentemente a revista Caros Amigos publicou uma entrevista com o prefeito Fernando Haddad. Quero destacar aqui os comentários que ele faz em relação ao Movimento Passe Livre. Antes de qualquer coisa é importante salientar que o PSOL não tem relação nenhuma com o movimento, a não ser de apoio à sua pauta. O MPL é um movimento autônomo, horizontal e sem vínculos partidários. Acostumar com essa forma de organização é de fato estranho para todos nós que estamos acostumados com instâncias partidárias hierárquicas, mas temos que fazer um esforço para compreender e dialogar com essas novas formas de organização política. Entretanto o prefeito optou pela desqualificação do movimento. Continue reading “Para não confrontar empresários, Haddad tenta desqualificar MPL”

“Se eu fosse empresária colocaria um terminal a cada ponto”.

por Lucas Legume, militante do Movimento Passe Livre São Paulo

Aproveitando a visibilidade da oitava semana nacional de luta por transporte público, o colunista da Folha de S. Paulo Leão Serva resolveu escrever uma crítica às manifestações do Movimento Passe Livre São Paulo. O enfoque foi nas mobilizações organizadas na Zona Sul de São Paulo, que reivindicaram a volta de linhas diretas entre o centro e a periferia. Continue reading ““Se eu fosse empresária colocaria um terminal a cada ponto”.”

[Floripa] Licitação do transporte: o problema veste a máscara de solução!

(clique na imagem para ampliá-la)

por Movimento Passe Livre Floripa

As empresas de ônibus de Florianópolis têm operado com os contratos vencidos desde 2009. Porém, no final de setembro a Prefeitura finalmente divulgou o edital de licitação do transporte público, documento que regulamenta o processo de contratação da empresa que irá explorar o sistema de transporte coletivo da cidade. Apesar de anunciada como a grande solução para a questão da mobilidade urbana local, a licitação tem se revelado um verdadeiro problema que ameaça não dar trégua pelos próximos 20 anos. Em geral, as mudanças apresentadas pelo edital de licitação são bastante superficiais. Do ponto de vista do passageiro, elas preveem quase que exclusivamente inovações tecnológicas, como o monitoramento virtual dos ônibus e a instalação de painéis modernos nos terminais. Ou seja, o projeto que se propõe a resolver a crise de mobilidade que vem se aprofundando em Florianópolis não anuncia qualquer mudança estrutural do sistema, demonstrando o enorme desconhecimento da Prefeitura em relação aos problemas diários enfrentados pelos usuários do transporte coletivo da capital. Continue reading “[Floripa] Licitação do transporte: o problema veste a máscara de solução!”

Que saiam do sistema

Transporte coletivo norteou entrevista da TV Carta com o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad. O prefeito evitou mostrar seu lado vaidoso, sugerindo ter absorvido o “impulso” dado pelas ruas para aplicar pequenas reformas no transporte. Nenhuma das duas propostas, no entanto, modificam a estrutura do sistema: subsidiar redução de tarifas via imposto regressivo (alocação da Cide, o imposto sobre combustível, algo que custa o mesmo para todos e que, portanto, pesa mais para os mais pobres) e refazer os contratos de concessão sem eliminar a remuneração das empresas via tarifa paga por passageiro é uma política cosmética. Continue reading “Que saiam do sistema”

[São Paulo] Haddad cancela licitação do sistema de ônibus e promete abrir planilha dos transportes

por Gisele Brito (Rede Brasil Atual)

Conselho popular será formado. MPL, movimento que iniciou as discussões, condiciona participação a organismo não ser mera formalidade

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), afirmou hoje (26) durante entrevista para o programa SPTV, da Rede Globo, que irá suspender o processo licitatório para as novas concessões de ônibus na cidade até que seja instalado o Conselho Municipal de Transportes. O edital dessa licitação estava em fase de consulta pública desde o dia 13 deste mês. O valor total era de cerca de R$ 46,2 bilhões, sendo R$ 35,2 bilhões para empresas de ônibus pelo período de 15 anos e R$ 11 bilhões para as cooperativas permissionárias por sete anos. Os atuais contratos, estabelecidos ainda na gestão Marta Suplicy (PT), serão prorrogados.

A medida visa a atender à demanda da população, que quer mais transparência nos processos públicos. Devem participar do conselho usuário do sistema, movimentos sociais e o Ministério Público. Continue reading “[São Paulo] Haddad cancela licitação do sistema de ônibus e promete abrir planilha dos transportes”

Movimento Passe Livre avisa: reduzir subsídio ao transporte trará aumento nas tarifas

Na segunda-feira, 10 de dezembro, o Movimento Passe Livre de São Paulo (MPL) foi à Câmara de Vereadores dar uns pitacos sobre como deve ser o Orçamento Municipal de 2013. Atentos, ficaram espertos nas previsões feitas e viram que havia R$ 300 milhões a menos destinado às “compensações tarifárias” (o famoso subsídio, que serve para aliviar um pouco o preço da tarifa, mas que não altera a estrutura do sistema baseado em concessões privadas e na cobrança dos usuários, tal como uma mercadoria qualquer, para sustentar o “equilíbrio econômico-financeiro” das empresas, um horror). Bom, subsídio menor significa aumento nas tarifas. Com isso o MPL não irá concordar e já está se organizando para preparar manifestações de resistência ao iminente reajuste.

Apesar de não terem o direito à fala concedido, o MPL protocolou uma carta (vá até o fim do post) exigindo que o subsídio seja mantido em R$ 960 milhões – números de 2012 – e não perderam de vista a natureza da contradição do sistema de transporte tarifado, argumentando que “todo aumento de tarifa é uma decisão política e não um problema técnico. Continue reading “Movimento Passe Livre avisa: reduzir subsídio ao transporte trará aumento nas tarifas”

Por que recusar o plano da licitação do transporte em Joinville?

Por Miguel Neumann, militante do MPL Joinville

Após muitos anos de expectativa finalmente foi iniciado o processo de licitação do transporte coletivo em Joinville. Há certa percepção popular segundo a qual com a aplicação dos princípios de concorrência a passagem irá abaixar, acabará o monopólio da Gidion/Transtusa e o transporte vai melhorar.

De antemão é necessário dizer que não, isto é, que essa percepção é falsa. Isso porque o transporte é licitado em lote por meio de consórcio. Isso significa que quem ganhar o lote ganha tudo, que o consórcio pode ser formado por várias empresas, mas para fins práticos funcionará apenas como uma. É justamente esse o objeto da licitação atual: um grande lote que atenderá toda Joinville. Continue reading “Por que recusar o plano da licitação do transporte em Joinville?”

[RJ] Fim de integração trem-metrô fará usuário gastar R$ 33 a mais por mês

Mais uma péssima notícia para usuários de transporte coletivo e, por extensão, para nossas cidades: as concessionárias do trem e metrô do Rio de Janeiro, SuperVia e Metrô Rio, cortaram o direito à integração entre os dois serviços. O passageiro passará a pagar R$ 4,95 e não mais R$ 4,20. Quem faz uso da integração duas vezes ao dia gastará R$ 33 a mais por mês.

Segundo matéria publicada em O Globo, “entre os motivos alegados pelo Metrô Rio está o fato de haver ‘vulnerabilidade’ no sistema de venda de tíquetes de papel no modelo integração”. A empresa, ainda de acordo com a matéria, “não explicou que vulnerabilidade seria essa”.

Transporte público de verdade em pauta nos EUA: tarifa é só outra forma de cobrar imposto de quem menos pode pagar

X

foto por MYSTERY PILL

Boas novas vindas do Norte. A noção do transporte como um direito de verdade oferecido a todos está extrapolando fronteiras! O Occupy Boston, grupo inspirado no movimento Occupy Wall Street, que questiona a escandalosamente desigual distribuição de riqueza na sociedade, lançou uma convocação para um dia de luta pelo transporte público.

Marcado para o dia 4 de abril, a ato defenderá o direito ao transporte para os 99% da sociedade (o motivo para a existência do movimento Occupy é a concentração de metade da riqueza nacional por apenas por 1%, os ricos pra valer) e que este transporte garanta a mobilidade de todos e todas, que seja sustentável e gratuito. Continue reading “Transporte público de verdade em pauta nos EUA: tarifa é só outra forma de cobrar imposto de quem menos pode pagar”

[Joinville] Entrevista com Maikon Jean Duarte, da Frente de Luta pelo Transporte Público

Ouça entrevista de Maikon Jean Duarte, do Movimento Passe Livre de Joinville e da Frente de Luta pelo Transporte Público, no programa Hora do Trabalhador, da Rádio Clube:

Maikon abordou assuntos como a violência policial contra os manifestantes que estão em campanha contra reajuste nas tarifas da cidade e também sobre o debate principal em torno do transporte como um direito, gratuito e de qualidade.

Para download, clique aqui.

Mais infos: http://nozarcao.blogspot.com/

O fracasso do modelo privado de transporte coletivo em Joinville – por um transporte público

por Hernandez Vivan

O transporte coletivo de modelo privado fracassou em Joinville – e poderíamos estender, grosso modo, a mesma afirmação para o restante do Brasil. Essa é uma afirmação forte, certamente, mas ainda sim não se trata de exagero ou desvio retórico. Hoje o transporte coletivo tem uma qualidade ruim, tarifa cara e é incapaz de agregar mais passageiros, perdendo usuários para carros e motos. É necessário demonstrar esse fracasso, pois assim poderemos pensar para além desse modelo privado. O texto que segue é uma tentativa disso. O problema de fundo é a licitação do transporte coletivo anunciada pelo IPPUJ. Queremos pensar uma alternativa de transporte que não seja apenas a mera legalização das atuais empresas privadas – o que aparentemente se avizinha nos planos do IPPUJ. Exploração do transporte ilegal e sem licitação é tão boa – ou melhor, tão ruim – quanto exploração legalizada e licitada. Continue reading “O fracasso do modelo privado de transporte coletivo em Joinville – por um transporte público”

Razões para barrar o aumento da tarifa dos zarcões

por Maikon K.

Escrevi as razões para entrar na luta contra o aumento de R$ 2,70 na tarifa dos zarcões. Todos os pontos foram baseados em diferentes relatos de usuários-as do meu círculo de amigos-as e familiares.

– Para ir ao Parque Cidade, localizado próximo da Arena, é preciso de carro ou de ônibus. Se pode pedalar e ir a pé, mas é importante notar o calor e chuva que ocorrem em Joinville. O zarcão é o meio de transporte coletivo e é uma boa maneira. Porém, para uma família de quatro pessoas, moradores do Parque Guarani, bairro de menor renda da cidade, ter um momento de lazer numa dominguera, será preciso gastar R$ 21,60.

– O acesso ao SUS – Sistema Único de Saúde – também depende do transporte coletivo, já que determinados atendimentos, como a psiquiatria, não estão disponíveis em todos os postos de saúde. Existem pessoas que precisam se deslocar de seu bairro para outro. Continue reading “Razões para barrar o aumento da tarifa dos zarcões”

[Joinville, SC] Não dá para não falar

por Cynthia Maria Pinto da Luz

Essa é minha crônica de final de ano em “A Notícia”. Habitualmente, falo de questões polêmicas, que afetam a vida da maioria das pessoas no seu dia a dia, da falta de efetividade dos direitos humanos, da violação sistemática desses direitos pelo mundo capitalista e a luta incessante que se trava em prol de uma sociedade capaz de oferecer a cada um de nós e nossos familiares uma vida tranquila, modesta, mas estável. Que nos permita atravessar ano após ano sem grandes percalços, projetando nossos sonhos, aspirações em direção a uma existência feliz.

Porém, isso só acontece se tivermos nossos direitos respeitados. Saúde, educação e trabalho, por exemplo, são direitos fundamentais – garantias constitucionais – que devem ser respeitados, preservados e potencializados pelo gestor público. Só que, agora, novamente está na ordem do dia o reajuste de tarifa do transporte coletivo de Joinville. O povo trabalhador e a juventude não suportam mais qualquer aumento, pois o valor atual já é extremamente excessivo, fazendo com que muitos deixem de usar ônibus para financiar um veículo individual, motocicleta ou carro. Continue reading “[Joinville, SC] Não dá para não falar”