Deslocamento será considerado trabalho pela União Europeia

Notícia interessantíssima direto do velho continente (no final do texto): Tribunal de Justiça da União Europeia considera que o deslocamento faz parte do trabalho e não apenas a realização da atividade. Sim, a decisão se limita a determinados tipos de trabalhos (os trabalhos que não são realizados em escritórios), mas coloca esta questão da mais alta relevância, tanto para as políticas de transporte como para as políticas trabalhistas, no devido lugar. O significante está exposto, tal como agora o transporte figurar entre os demais direitos essenciais na Constituição Federal brasileira. Passo importante para elaborá-lo política e intrapsiquicamente, para deslocar o significado de trabalho e deslocamento, com perdão dos trocadilhos. Continue reading “Deslocamento será considerado trabalho pela União Europeia”

Tarifa zero em Buenos Aires: luta na linha 60

tz04

“Você está cansado de viajar como gado na 60? Hoje não pague a passagem”.

Por Primo Jonas

Desde o dia 25 de junho os trabalhadores da linha 60 de ônibus da cidade de Buenos Aires estiveram levando adiante uma operação de “tarifa zero” como medida de luta contra a patronal. O conflito se iniciou com a demissão de um trabalhador da linha que foi abertamente reconhecida pelos trabalhadores como perseguição gremial contra a organização dos mesmos. Levado o caso à justiça, o Estado ditou uma conciliação obrigatória na qual a empresa estava obrigada a reincorporar o trabalhador demitido. Não apenas a empresa não acatou a conciliação obrigatória como decidiu então demitir 47 outros trabalhadores. Começa o lockout patronal, num primeiro momento retirando o pessoal administrativo das cabeceiras (pontos finais e terminais) e depois voltando a ocupá-lo e impedindo os motoristas de saírem sem antes assinar um acordo no qual se comprometiam a cobrar a passagem. Continue reading “Tarifa zero em Buenos Aires: luta na linha 60”

Transporte público sem tarifa em Tallinn, na Estônia

por Ana Lara Schlindwein, Gabriel Andrade e JG

A cidade de Tallinn, na Estônia, foi a primeira capital do mundo a implementar um sistema de tarifa zero no transporte coletivo. Ainda que não seja algo novo, pois a gratuidade já existe em outras cidades pelo mundo [1] [2], esse é um caso de destaque: Tallinn é um grande centro urbano, com uma população de 430 mil habitantes, e a capital de um país membro da União Europeia.

O sistema de transporte começou a funcionar sem tarifa em 2013, após um plebiscito com todos os moradores da cidade, onde a opção pela gratuidade venceu com 75,5% dos votos. Segundo a prefeitura de Tallinn, dentre os principais objetivos estava, primeiramente, reduzir os congestionamentos. Além disso, cientes dos impactos ambientais e para a saúde humana, a poluição do ar também era uma preocupação [3]. Após alguns meses da implementação da medida, como observou a prefeitura, o uso do transporte coletivo aumentou cerca de 20%, seguido de diminuição proporcional do uso de carros [4], embora os dados sejam contestados. Estudos de longo prazo sobre as consequências da medida adotada em Tallinn vêm sendo realizados por pesquisadores do Instituto Real de Tecnologia da Suécia e estão previstos para publicação no final do ano. [5] Continue reading “Transporte público sem tarifa em Tallinn, na Estônia”

Controle infame!

por Camila Betoni

Na região da Lombárdia, bem ao norte da Itália, encontrei essa pixação em uma pequena estação de trem perto de Milão. “Lembre-se de não pagar a passagem! Controle infame!”. Nos trens da Itália não há catracas, o controllori acontece quando os guardinhas das empresas passam pelos vagões cobrando os bilhetes dos passageiros. Deu pra ver que aqui a mercantilização do direito de circular também é vista como injusta, como infame. Era pra foto ter saído melhorzinha, mas as janelas do trem estavam muito sujas. Por uma vida sem controle!

Talvez o transporte público devesse ser de graça

Por N.B. – 19 de Junho de 2013. Washington D.C. – The Economist

O blogueiro da Slate Matt Yglesias decidiu, depois de andar de bonde em Estrasburgo, que o sistema de comprovação de pagamento de tarifas—aquele em que o pagamento das tarifas é policiado por inspetores que distribuem multas quando pegam você sem o bilhete certo—é melhor para o transporte público do que o sistema de ‘pagar por viagem’. Mas há uma proposta mais radical que poderia funcionar ainda melhor: tornar o transporte público de graça.

O sistema de comprovação de pagamento sem dúvida seria uma grande melhora em relação aos sistemas ineficientes que atualmente dominam as linhas de ônibus e metrô das cidades americanas. Alguns anos atrás um grupo de engenheiros da Metropolitan Transit Authority (MTA) de Nova Iorque calcularam a quantidade de tempo perdida enquanto os passageiros esperavam para subir no ônibus e pagar a tarifa de uma única corrida da linha de ônibus Bx12 Limitada no Bronx. A resposta foi 16 minutos e 16 segundos, ou mais de um quarto da corrida. Um sistema de comprovação de pagamento economizaria muito tempo.

Desde esse estudo, o MTA mudou para o sistema de comprovação de pagamento em diversas linhas, incluindo a Bx12 Limitada. Os tempos de espera diminuíram, e a velocidade média aumentou. Mas, se os ônibus fossem de graça, tudo poderia funcionar ainda melhor.

Não é tão louco quanto parece. Continue reading “Talvez o transporte público devesse ser de graça”

Tallinn é primeira capital europeia com transporte público grátis

Da AFP

Tallinn, na Estônia, se tornou em 2013 a primeira capital europeia com transporte público gratuito para todos os seus habitantes, uma forma de reduzir os engarrafamentos e a contaminação.

Desde o começo do ano, os moradores da cidade têm que apresentar um novo cartão ao embarcar em ônibus, bondes ou trólebus, mas o trajeto é totalmente gratuito. Continue reading “Tallinn é primeira capital europeia com transporte público grátis”

Transporte público gratuito existe e não é coisa de maluco

por Thalita Pires, Rede Brasil Atual

O tema do valor do transporte público é sempre sensível nas cidades brasileiras. A cada aumento de tarifa, vozes se levantam para cobrar um subsídio maior para o uso de ônibus e trens. A resposta das prefeituras e governos estaduais é sempre a mesma: alguém tem de pagar pelo sistema, cujos custos sempre aumentam. Mas essa discussão chegou em outro nível em várias cidades nos Estados Unidos e Europa. Nelas, os moradores não pagam para usar o transporte coletivo. Entre elas estão Châteauroux, Vitré e Compiègne, na França; Hasselt, na Bélgica; Lubben, na Alemanha e Island County, Chapel Hill, Vail e Commerce, nos Estados Unidos, entre outras. A próxima a adotar a ideia será Tallinn, a capital da Estônia, no final deste ano.

A ideia de gratuidade no transporte vai contra tudo o que nos disseram sobre o assunto aqui no Brasil, a saber: sem pagamento, o sistema ficaria sem recursos, e em algum momento se tornaria inviável. Mas existem teóricos e administradores públicos que defendem que é economicamente viável – ou até preferível – que as pessoas não paguem por ele. Continue reading “Transporte público gratuito existe e não é coisa de maluco”

Cidade chinesa suspende tarifa de ônibus

por Xinhua, da Rádio Internacional da China

A megacidade de Chengdu, capital da Província de Sichuan, sudoeste da China, lançou na última quarta-feira (10) uma campanha com passagens gratuitas e desconto no preço da passagem de metrô da cidade, com o objetivo de encorajar as pessoas a escolher transporte público em vez de carros particulares.

Um porta-voz da companhia de transporte municipal público de Chengdu disse que a política de passagem de ônibus gratuita permanecerá em vigor até 30 de junho do próximo ano. Na quarta-feira, 33 linhas de ônibus se tornaram gratuitas, e o número aumentará para 44 até o final do mês. Continue reading “Cidade chinesa suspende tarifa de ônibus”

Estudo: Implementação e resultados de sistemas de transporte com tarifa zero nos EUA

Já faz algum tempo que buscamos conhecer exemplos de cidades estrangeiras que estão experimentando a tarifa zero no transporte coletivo. Vimos que os motivos para justificar essa medida paradigmática são os mais variados (desde a concepção mais “simples” do direito essencial, passando por distribuição de renda, até medidas de desafogo do trânsito).

Conhece aquele clichê jornalístico do “de acordo com pesquisa de cientistas americanos…”? Chegou a minha vez de usá-lo. Mas, desta vez, com conteúdo pra valer: há poucas semanas foi publicado, nos Estados Unidos, um estudo detalhado sobre as experiências tarifa zero naquele país. De autoria do Transit Cooperative Research Program (TCRP), o estudo, chamado Implementação e resultados de sistemas de transporte com tarifa zero, tem o objetivo de documentar antigas e atuais experiências de empresas públicas que planejaram e implementaram sistemas de transporte sem tarifa. O documento é “destinado a gestores públicos interessados em conhecer os benefícios sociais e o impacto do transporte pago indiretamente” e aborda experiências desde a década de 1960, como no caso de Commerce, California, e 1970, como em East Chicago, Indiana. As duas cidades ainda oferecem tarifa zero, por sinal. Continue reading “Estudo: Implementação e resultados de sistemas de transporte com tarifa zero nos EUA”

[EUA] O sistema de transporte de Corvallis abandonou a tarifa de ônibus

É só entrar e sentar

Nancy Raskauskas, para Gazzette-Times

Quando Katrina DiFonzo pegou o ônibus na parte do Centro de Corvallis (Oregon, EUA, 50 mil habitantes) onde os carros são proibidos,  ela não precisou parar para colocar as moedas na caixa coletora da tarifa: simplesmente subiu no ônibus e se sentou. Agora, todo mundo que vier a utilizar o Sistema de Transporte de Corvallis (CTS na sigla em inglês), ou o Beaver Bus (ônibus para estudantes), poderá fazer o mesmo.

O CTS passou a operar com tarifa zero no dia 1º de fevereiro, custeada por uma Taxa Transporte aprovada pela Câmara Municipal, que cobrará $2,75 dólares por família mensalmente. A Taxa Transporte é uma das três Taxas para Iniciativas Sustentáveis que, somadas, chegam a $4,05 dólares. As outras duas cobrem o custeio das calçadas e árvores. Continue reading “[EUA] O sistema de transporte de Corvallis abandonou a tarifa de ônibus”

Uma greve da tarifa em Boston

Mais um exemplo de que não estamos a sós e que governos e empresas privadas de transporte não sugam apenas o nosso dinheiro aqui nos tristes trópicos. Nesta última sexta-feira, 13, um grupo de usuários de transporte de Boston, Massachusetts, EUA, articulou um dia de ação e debate sobre a cobrança de tarifas no transporte coletivo. A Coalização pela Greve da Tarifa esteve presente em diversas estações de metrô para abrir as portas das catracas eletrônicas, proporcionando um dia de tarifa zero para quem estivesse por perto. Continue reading “Uma greve da tarifa em Boston”

Tarifa zero na capital da Estônia em 2013

Essa imagem está com os dias contados

Já ouviu falar de Tallinn, a capital da Estônia? Não? Pois saiba que esta cidade de pouco mais de 400 mil habitantes, localizada no norte do país, oferecerá transporte coletivo a tarifa zero a partir de 2013. Foi isso que decidiram 75,5% dos eleitores que participaram, entre os dias 19 e 25 de março, de um referendo realizado pelo poder público. A pergunta era simples: “Você aprova a introdução de um sistema de transporte gratuito a partir de 2013?”

De acordo com reportagens do site ERR, 68,059 cidadãos compareceram aos 40 locais de votação. O prefeito da cidade, Edgar Savisaar, garantiu que a decisão da maior parte da população será aplicada. Continue reading “Tarifa zero na capital da Estônia em 2013”

Transporte público de verdade em pauta nos EUA: tarifa é só outra forma de cobrar imposto de quem menos pode pagar

X

foto por MYSTERY PILL

Boas novas vindas do Norte. A noção do transporte como um direito de verdade oferecido a todos está extrapolando fronteiras! O Occupy Boston, grupo inspirado no movimento Occupy Wall Street, que questiona a escandalosamente desigual distribuição de riqueza na sociedade, lançou uma convocação para um dia de luta pelo transporte público.

Marcado para o dia 4 de abril, a ato defenderá o direito ao transporte para os 99% da sociedade (o motivo para a existência do movimento Occupy é a concentração de metade da riqueza nacional por apenas por 1%, os ricos pra valer) e que este transporte garanta a mobilidade de todos e todas, que seja sustentável e gratuito. Continue reading “Transporte público de verdade em pauta nos EUA: tarifa é só outra forma de cobrar imposto de quem menos pode pagar”

[Argentina] Dia das catracas solidárias

Ontem, 6 de janeiro, das 16h às 19h ocorreu, em seis linhas de metrô, a segunda etapa do dia de abertura das catracas, uma medida que permite aos passageiros viajar gratuitamente em protesto contra o aumento de 127% no valor da tarifa – que entrou em vigor ontem, por decisão do governo de Mauricio Macri [prefeito da cidade de Buenos Aires]. A medida, tomada “em solidariedade aos passageiros”, foi colocada em prática a partir da decisão coletiva dos trabalhadores do serviço público de transportes. O Executivo portenho, todavia, negou qualquer possibilidade de reverter esse aumento: “Assumiremos o custo político da medida”, reconheceu. Continue reading “[Argentina] Dia das catracas solidárias”

Trens e ônibus sem policiais, transporte gratuito para todos e todas

Publicado no Bay of Rage, site editado por ativistas anticapitalistas da região da Baía de São Francisco, Estados Unidos

Duas simples exigências:

Trens e ônibus sem policiais
Transporte gratuito para todos e todas

Não temos dinheiro para pagar a tarifa e, mesmo se tivéssemos, teríamos coisas melhores para gastar nossa grana. Pulamos as catracas, entramos pelas portas traseiras e compramos passes nas ruas. Continue reading “Trens e ônibus sem policiais, transporte gratuito para todos e todas”