Para não confrontar empresários, Haddad tenta desqualificar MPL

por Toninho Vespoli, vereador de São Paulo pelo PSOL

Recentemente a revista Caros Amigos publicou uma entrevista com o prefeito Fernando Haddad. Quero destacar aqui os comentários que ele faz em relação ao Movimento Passe Livre. Antes de qualquer coisa é importante salientar que o PSOL não tem relação nenhuma com o movimento, a não ser de apoio à sua pauta. O MPL é um movimento autônomo, horizontal e sem vínculos partidários. Acostumar com essa forma de organização é de fato estranho para todos nós que estamos acostumados com instâncias partidárias hierárquicas, mas temos que fazer um esforço para compreender e dialogar com essas novas formas de organização política. Entretanto o prefeito optou pela desqualificação do movimento. Continue reading “Para não confrontar empresários, Haddad tenta desqualificar MPL”

Aula pública no Anhangabaú: Tarifa Zero já!

por Movimento Passe Livre São Paulo

Um dia antes de entrar em vigor a nova tarifa de R$3,50, decretada por Haddad e Alckmin, centenas de pessoas se reuniram para participar de uma aula pública sobre transportes no centro da cidade. O evento, marcado para em frente à Prefeitura, mudou para debaixo do Viaduto do Chá devido à chuva.

Esteve presente Lúcio Gregori, engenheiro que foi Secretário de Transportes de São Paulo no início dos anos 1990 e trabalhou, na época, na elaboração de um projeto de Tarifa Zero e municipalização dos ônibus da capital. A Tarifa Zero se mostrou perfeitamente viável do ponto de vista técnico e econômico, mas não foi implementada por falta de vontade político. Continue reading “Aula pública no Anhangabaú: Tarifa Zero já!”

Vou responder para a SPTrans sim. Para o prefeito Fernando Haddad também

por Graziela Kunsch

Ontem, dia 14 de janeiro, recebi um email da SPTrans que tinha como remetente “Não responda” (no lugar onde aparece o nome de quem envia o email) e “[email protected]” como endereço de email. O texto do email era assinado pelo secretário municipal de Transporte de São Paulo, Jilmar Tatto, e defendia o uso do bilhete mensal, argumentando que ele é mais barato que o bilhete único comum. O que o secretário esqueceu de mencionar nesse email é que o bilhete mensal só ficou “mais barato” porque a prefeitura e o governo do estado aumentaram as tarifas nos ônibus, trens e no metrô em 50 centavos e deixaram o bilhete mensal – que tinha apenas 1% de adesão da população – congelado. Como resumiu o professor de políticas públicas Pablo Ortellado, “Bilhete mensal: antes era caro, agora ficou barato. Mas é o mesmo preço. Entendeu?”. Daniel Guimarães, aqui do TarifaZero.org, comparou a “promoção” do bilhete mensal com os preços da Black Friday no Brasil: “Tudo pela metade do dobro”. Também é divertido ler as respostas que o twitter do prefeito recebeu no dia 9. Enquanto acontecia o primeiro grande ato contra a tarifa, no centro da cidade, com aproximadamente 20 mil pessoas nas ruas, o prefeito comemorava um suposto aumento de 1.000% de adesão ao bilhete único. Por que será, né, prefeito?

Mas a minha maior motivação para escrever este pequeno texto foi a entrevista que Fernando Haddad deu para Kiko Nogueira, no Diário do Centro do Mundo. Não poderia deixar de comentá-la e respondê-la. Continue reading “Vou responder para a SPTrans sim. Para o prefeito Fernando Haddad também”

Tarifa Zero e mobilidade sustentável

Palestra proferida no dia 12 de julho de 2013, às 19h, no auditório da Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal da Bahia — UFBA

Destaques para a fala de Caio Ferreira (aos 25 minutos), do Movimento Passe Livre São Paulo, e Luiza Erundina (aos 38 minutos), deputada federal e ex-prefeita de São Paulo (1989-1993), gestão que formulou o Projeto Tarifa Zero.

O que a Tarifa Zero, os bancos e as concessionárias de automóveis poderiam ter em comum mas ainda não têm

Por Graziela Kunsch
Colaborou Daniel Guimarães

versão PDF

Escrevo este texto a partir da experiência da manifestação organizada pelo Movimento Passe Livre no dia 19 de junho de 2014 em São Paulo e a sua repercussão na imprensa. Esclareço desde já que o texto é assinado por mim individualmente e que não falo em nome de ninguém. Busco apenas contribuir como pessoa que estava presente no ato e que ainda se choca com as distorções desleais feitas por alguns jornalistas dos veículos de imprensa hegemônicos, que estavam igualmente presentes. Farei uma reflexão sobre o que o ataque a agências bancárias e concessionárias de automóveis poderia ter a ver com a luta pela gratuidade no transporte, mas que no ato do dia 19 não teve; além de uma crítica à criminalização dos movimentos sociais. Escolhi me posicionar diante do que considero uma tática equivocada para o nosso momento atual, mas tenho a clareza de que a verdadeira violência é promovida pelo Estado, tanto pela sua polícia como pelas suas políticas públicas distorcidas, que servem mais a interesses privados.

Continue reading “O que a Tarifa Zero, os bancos e as concessionárias de automóveis poderiam ter em comum mas ainda não têm”

[São Paulo] Túnel Av. Paulista – Dr. Arnaldo: vídeo do ato por Tarifa Zero de 19/6

clique aqui se preferir ver diretamente no Vimeo, em janela maior

Comemorando um ano da revogação do aumento de 20 centavos nas tarifas de ônibus, trem e metrô na cidade de São Paulo, o Movimento Passe Livre realizou um ato por TARIFA ZERO e pela readmissão de 42 metroviários, demitidos por terem feito greve parcial. O ato aconteceu durante um dos jogos da Copa do Mundo mas, no lugar do mote “Não vai ter copa”, o movimento propôs a frase “Não vai ter tarifa”. Este pequeno vídeo mostra um dos momentos da manifestação.

Não vai ter tarifa! Panfleto do MPL São Paulo para o ato de hoje, dia 19

Há exatamente um ano saímos às ruas para dizer não ao aumento das tarifas de ônibus, metrô e trem que a prefeitura, o governo do estado e as empresas queriam nos enfiar goela abaixo. Ocupamos as ruas para que a nossa voz fosse escutada: 20 centavos, não!, porque cada centavo a mais no preço das passagens aumenta a exclusão, impede mais pessoas de utilizar o transporte por falta de dinheiro e, por isso, faz com que não tenham seu direito à cidade garantido.

E vencemos! O povo conseguiu quebrar o cotidiano de derrotas que nos aflige nesta vida em que decidimos tão pouco. Fomos milhares, centenas de milhares! Os vinte centavos desapareceram e, no lugar deles, ficou o sentimento de que organizados coletivamente podemos mudar nossas vidas, podemos transformar radicalmente nossa cidade. Agora só faltam três reais, e pra isso construiremos mais histórias com muita luta e também muita festa. Continue reading “Não vai ter tarifa! Panfleto do MPL São Paulo para o ato de hoje, dia 19”

Tarifa zero experimental em São Paulo

O pessoal da Luta Por Transporte do Extremo Sul em conjunto com o Movimento Passe Livre São Paulo planejaram, organizaram e botaram para funcionar hoje uma linha de ônibus, onde antes não havia nenhuma, e com tarifa zero, no trajeto Mambu-Marsilac.

Já pensaram que loucura se cada bairro fizer a sua linha (ainda mais se for uma linha que não existe, mas deveria) com tarifa zero e, depois disso, concluir que não aceitará outra coisa senão uma linha com tarifa zero? Onde isso irá parar: na exigência de que a cidade toda tenha muito ônibus, em muitos horários, em muitos trajetos, sem a cobrança da tarifa? Tomara e parece irreversível. Já que dá muito trabalho e é injusto a própria comunidade pagar por isso, sinto que a Prefeitura da Cidade de São Paulo vai ter que se virar, cobrar dos ricos e responder à demanda da turma.

Leia mais sobre a preparação dessa experiência histórica. Continue reading “Tarifa zero experimental em São Paulo”

Por uma vida sem catracas, MPL | SP


 

A história e as ações do Movimento do Passe Livre – SP. Um desdobramento do A Partir de Agora – as Jornadas de Junho no Brasil.

Direção, roteiro e concepção: Carlos Pronzato
Direção de produção: Cristiane Paolinelli
Edição: Juca Badaró
Edição: abertura, teasers e pesquisas de imagens adicionais: Richardson Pontone
Trilha: Apanhador Só – “Feliz 2014” , El Efecto – “Pedras e sonho” , Anthrax “in to the end”

Realização: Lamestiza Audiovisual

Brasil, fevereiro de 2014.

[São Paulo] Tatto se desculpa e admite rever cortes em linhas de ônibus, ‘se for preciso’

por Rodrigo Gomes

Secretário de Transportes também se comprometeu a não mudar nenhuma nova linha sem diálogo com a população e recebeu ‘Prêmio Catraca’ do Movimento Passe Livre

O secretário Municipal de Transportes da capital paulista, Jilmar Tatto, se comprometeu na noite de ontem (20) a receber comissões de moradores de regiões que tiveram alterações em linhas de ônibus, como extinção ou secção. Em resposta ao convite do Movimento Passe Livre (MPL), Tatto foi à frente do prédio da prefeitura de São Paulo, onde ouviu as reclamações de usuários de transporte. Cerca de 200 pessoas participavam do ato. “Vamos dialogar na próxima semana e ver o que é possível fazer. Se precisar voltar linha, vai voltar”, afirmou. Continue reading “[São Paulo] Tatto se desculpa e admite rever cortes em linhas de ônibus, ‘se for preciso’”

[São Paulo] Debate aberto sobre os Cortes de Linhas com o secretário de transportes

Em toda cidade, a SPTrans vem efetuando uma série de cortes de linhas de ônibus. Longe de serem casos isolados, os cortes fazem parte de uma política de “racionalização” do sistema que só serve para encher o bolso dos empresários, às custas do sofrimento da população com ônibus mais lotados e maior tempo de viagem.

Em resposta aos protestos contra os cortes de linha que aconteceram em vários bairros da cidade, em fins de 2013 o Secretário Municipal de Transportes, Jilmar Tatto, afirmou que não é verdade que os cortes de linha não favorecem os empresários e convidou os manifestantes para debater: “eles estão errados do ponto de vista do conceito. Esse debate eu faço com eles a hora que eles quiserem, não tem problema.” (fonte: https://tinyurl.com/pw8uy48)

Ora, se o Secretário quer mesmo debater a qualquer hora, convidamos ele para discutir isso com a população abertamente no dia 20/02, quinta-feira, às 18h em frente à Prefeitura.

A linha de ônibus que você pegava foi cortada? Alguém consultou os passageiros antes? Você sabe o motivo? Quem ganha com os cortes de linhas?

Venha ao debate e faça essas perguntas e todas as outras que você quer saber diretamente com Secretário de Transportes, que diz estar aberto para explicar.

Página do evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/489572097820669/493544524090093/?notif_t=plan_mall_activity

Reflexões sobre o Bilhete Mensal

por Movimento Passe Livre São Paulo

Não é porque é uma tarifa mensal que o novo Bilhete Único deixa de lado a lógica excludente de qualquer tarifa: só vai continuar usando o transporte quem pode pagar por ele.

Para o pobre dificuldade é a real
A liberdade dos carros correndo na radial
Quem não pode faz um investimento mensal
Uma cota considerável quando soma o total

Rincon Sapiência, “Transporte Público”

O transporte público em São Paulo sempre se organizou ao redor da jornada de trabalho: o sistema funciona basicamente para levar e trazer as pessoas do emprego. As linhas de ônibus existem em função desse movimento periferia-centro, centro-periferia, no início da manhã e no fim da tarde – quando todos os ônibus saem das garagens. O único momento e o único itinerário de circulação pela cidade é, na maioria das vezes, o deslocamento para o trabalho. O Vale Transporte consolida essa lógica: só garante ao trabalhador a condução para o serviço. Levar os filhos ao hospital, visitar a mãe em outro canto da cidade, aproveitar os parques, os cinemas, os teatros, fazer compras, tudo isso está fora daquela garantia. Continue reading “Reflexões sobre o Bilhete Mensal”