[ES] Seminário Aberto de Mobilidade Urbana – 25 de Outubro de 2012

por Movimento Passe Livre do Espírito Santo

Esta é a oportunidade de realmente discutirmos os rumos de nossa cidade.
O governo estadual tem proposto o BRT como um pacote fechado de soluções para o transporte de pessoas na Grande Vitória. Porém apenas se fala sobre tempo gasto e espaço na pista, nunca é citado lotação e preço.
Ao contrário dos seminários e outros espaços do governo, este seminário construído pelo MPL-GV e a Associação dos Geógrafos Brasileiros – Seção Vitória será aberto ao debate para todos que de alguma forma são afetados pelo transporte público. 

Haverão Grupos de Trabalho que discutirão, às 16h00:
  • Cicloativismo – A biciclta como alternativa de transporte
  • Passe Livre concedido pelo Governo Estadual
  • Mídia, Tansporte e Mdia Aternativa – Informação e contra-informação
Serão apresentadas e debatidas duas propostas frente a crise do transporte, às18h30:
  • Bus Rapid Transit – BRT
  • Projeto Tarifa Zero

Local: UFES – Auditório do IC4

Retirado de http://passelivrees.blogspot.com.br/2012/10/seminario-aberto-de-mobilidade-urbana.html

Caos em terras capixabas

Foto por Anizio Suela

Texto por Filipi Siqueira

Nas últimas quinta e sexta-feira a cobra comeu e o pau fumou no Espírito Santo. De centenas a milhares de alunos protestaram durante esses três dias pela diminuição das tarifas do transporte público do Estado. É claro que nem o governo e nem a polícia acharam legal, então o que aconteceu foi o seguinte:

PARTE I – PEDRAS NA JANELA DO GOVERNADOR Continue reading “Caos em terras capixabas”

[Vitória, ES] Estudantes vão manter protestos em Vitória contra aumento da passagem

por Paulo Rogério

Quatro universitários estiveram reunidos no final da tarde desta segunda-feira (24) com o novo secretário de Transportes e Obras Públicas

Representantes dos estudantes da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) foram taxativos: as mobilizações e protestos por redução das passagens de ônibus na Grande Vitória continuam por tempo indeterminado. Quatro universitários estiveram reunidos no final da tarde desta segunda-feira (24) com o novo secretário de Transportes e Obras Públicas (Setop) do governo do Estado, Fábio Damasceno, e com a diretora-presidente da Ceturb, que administra o Sistema Transcol, Denise Cadete. Continue reading “[Vitória, ES] Estudantes vão manter protestos em Vitória contra aumento da passagem”

[ES] Protesto no Setpes: reunião e entrega de reivindicações pelos alunos

Depois de quase 24 horas de protesto, os alunos que reivindicam a redução do preço da passagem dos ônibus do sistema Transcol e dos de Vitória, fizeram uma reunião com representantes do Sindicato das Empresas de Transporte Metropolitano da Grande Vitória (GVBus) e da Companhia de Transportes Urbanos da Grande Vitória (Ceturb).

Na reunião, que aconteceu no pátio do Setpes com cerca de trinta alunos, uma carta foi assinada pelos representantes da Ceturb e Setpes, na qual eles sem compromentem a discutir, nas próximas reuniões que ficaram marcadas ainda para a primeira quinzena deste mês, os assuntos revindicados pelos alunos: melhoria na qualidade do transporte público na Grande Vitória e o passe-livre. O benefício seria para estudantes de todos os níveis, de escolas públicas e particulares e também extensivo aos desempregados.

Continue reading “[ES] Protesto no Setpes: reunião e entrega de reivindicações pelos alunos”

Manifesto do MPL Vitória sobre a ocupação da sede das empresas de transporte

Vitória, 05 de Fevereiro de 2010

Nós, do Movimento Passe Livre – trabalhadores, desempregados e estudantes -, estamos lutando contra mais uma medida absurda do governador Paulo Hartung e do prefeito João Coser que, abusando do poder mais uma vez, aumentou o preço da passagem sem consultar o povo, aproveitando-se do Reveillon, período em que o povo estava em festa e os estudantes em férias.

Enquanto nós, trabalhadores, pagamos caro pela passagem, nada vemos de melhoria no transporte público. O sistema de transporte capixaba hoje é resumido a um “navio negreiro” contemporâneo. Andamos enlatados em um trânsito que é um caos. Isso porque Paulo Hartung e sua corja estão com o rabo preso com os empresários do transporte rodoviário, se negando a investir em outras formas de mobilidade urbana, como aquaviário, metrô, ciclovia e a aumentar a frota. O sistema de transporte da grande Vitória funciona por uma concessão, na qual as empresas de transporte tem a permissão para explorar esse serviço, que deveria ser público e estatal. E é para o bolso desses empresários que vai nosso dinheiro. O direito de ir e vir nos é garantido pela Constituição e é essencial para a sociedade. Por isso gritamos “Passe Livre Já”! Por isso pulamos a roleta! Lutamos coletivamente porque acreditamos que só o povo tem força de poder garantir seus direitos.

Estamos ocupando a sede do SETPES [Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Espírito Santo] (Rua Constante Sodré, Santa Lúcia, Vitória) na luta imediata da passagem, contra as medidas antidemocráticas de Paulo Hartung e João Coser.

Convidamos todos para se juntar à luta que é do povo!

Leia também: entrevista com integrante do MPL Vitória

Militantes do MPL Vitória serão julgados

Em março de 2008, em Vitória (ES), um grupo de jovens foram abordados enquanto faziam propaganda do Passe Livre em pontos de ônibus com stencil, e passaram a noite presos na delegacia da Praia do Canto. Diferente de muitos casos do gênero, o processo andou, talvez pelo cunho político, e uma audiência foi convocada logo para o mesmo ano.

Os jovens faziam inscrições por meio de um molde vazado (stencil), nos vidros dos pontos de ônibus, do emblema do Movimento Passe Livre. Não provocando qualquer dano, até porque o local, como todos sabem – pelo menos os que usam ônibus -, é destinado justamente à afixação de cartazes.

Quem está acompanhando de perto esse processo absurdo, logo percebe as posições ideológicas conservadoras e preconceituosas da juíza e da promotora pelos comentários rasteiros e desrespeitosos por elas proferidos. Como ao saber que um dos jovens cursava administração, uma delas fez a afirmação de que isso era muito bom, porque ele deveria aprender que “esse negócio de socialismo é coisa do passado” e que ele deveria se “tornar empresário, para ver como é bom alguém vir pichar o seu muro”, ou dizendo ainda que isso era “coisa do Brasil”, que não acontecia na Europa, mostrando o grau de seu desconhecimento sobre as lutas sociais dos estudantes franceses, gregos, italianos, etc. E ainda têm a coragem de exigir dos jovens que ao invés de protestar eles deveriam usar os canais legais, junto às “autoridades constituídas”, as quais elas são o exemplo mais típico, tanto em mentalidade como nas suas práticas conservadoras, arbitrárias e desproporcionais, tidas como “em benefício da sociedade”.

O julgamento está marcado para o dia 8 de outubro deste ano, às 15h, na Vara de Infância e Juventude de Vitória. Os jovens acusados pedem a presença de todos e todas que puderem comparecer nesta data e local, o objetivo é pressionar a Juíza a arquivar ou a julgar de vez este processo.

É importante salientar a importância de participar deste ato, porque o julgamento não é apenas de um grupo de jovens que estava usando o seu direito de manifestação. É o julgamento de mais um movimento social que, nos tempos atuais, tornaram-se alvo cada vez mais frequente de perseguição e criminalização por parte do estado.

Retirado do Centro de Mídia Independente