Vou responder para a SPTrans sim. Para o prefeito Fernando Haddad também

por Graziela Kunsch

Ontem, dia 14 de janeiro, recebi um email da SPTrans que tinha como remetente “Não responda” (no lugar onde aparece o nome de quem envia o email) e “[email protected]” como endereço de email. O texto do email era assinado pelo secretário municipal de Transporte de São Paulo, Jilmar Tatto, e defendia o uso do bilhete mensal, argumentando que ele é mais barato que o bilhete único comum. O que o secretário esqueceu de mencionar nesse email é que o bilhete mensal só ficou “mais barato” porque a prefeitura e o governo do estado aumentaram as tarifas nos ônibus, trens e no metrô em 50 centavos e deixaram o bilhete mensal – que tinha apenas 1% de adesão da população – congelado. Como resumiu o professor de políticas públicas Pablo Ortellado, “Bilhete mensal: antes era caro, agora ficou barato. Mas é o mesmo preço. Entendeu?”. Daniel Guimarães, aqui do TarifaZero.org, comparou a “promoção” do bilhete mensal com os preços da Black Friday no Brasil: “Tudo pela metade do dobro”. Também é divertido ler as respostas que o twitter do prefeito recebeu no dia 9. Enquanto acontecia o primeiro grande ato contra a tarifa, no centro da cidade, com aproximadamente 20 mil pessoas nas ruas, o prefeito comemorava um suposto aumento de 1.000% de adesão ao bilhete único. Por que será, né, prefeito?

Mas a minha maior motivação para escrever este pequeno texto foi a entrevista que Fernando Haddad deu para Kiko Nogueira, no Diário do Centro do Mundo. Não poderia deixar de comentá-la e respondê-la. Continue reading “Vou responder para a SPTrans sim. Para o prefeito Fernando Haddad também”

Sobre o Passe Livre Estudantil

por Movimento Passe Livre São Paulo

Na última quarta-feira, 21, a comissão de Viação e Transportes da Câmara dos  Deputados deu parecer favorável ao projeto que pretende criar o Programa Nacional do Passe Livre Estudantil, restando a apreciação de outras três comissões para que o projeto seja colocado em votação. Também na semana passada, na quinta-feira, 22, a Câmara dos Vereadores de São Paulo realizou uma audiência que se propôs a  discutir, de modo disperso, alternativas para o transporte público na cidade. Entre os diversos pontos de pauta estava o passe livre estudantil. Sobre o passe livre estudantil, temos algumas coisas a dizer. Continue reading “Sobre o Passe Livre Estudantil”

Resoluções do I Encontro Nacional pelo Passe Livre, Florianopolis, julho de 2004

Manifesto do Encontro Nacional do Passe Livre

Uma faísca está incendiando os corações e mentes dos estudantes nos pontos mais distintos deste país: é a Campanha pelo Passe Livre. Esta mesma faísca ameaça por fogo em ônibus, ruas, câmaras, prefeituras etc. As razões para a força deste movimento provêm da necessidade objetiva de uma população que sob as condições mais arcaicas de organização social buscam estabelecer os limites da sua própria exploração. O direito à educação é o princípio inalienável destes jovens que tomam as cidades em luta contra o sistema de transporte. Continue reading “Resoluções do I Encontro Nacional pelo Passe Livre, Florianopolis, julho de 2004”

Nota do MPL Floripa sobre o “Programa Passe-Livre Estudantil” do Senado

Nota Pública do MPL Florianópolis

O MPL Florianópolis vem a público se posicionar sobre o projeto de lei nº 248/13 do Senado Federal que institui o “Programa Passe-­Livre Estudantil”

1. Consideramos que a apresentação dessa proposta é fruto da vitória dos movimentos populares que tomaram as ruas do Brasil no mês de junho de 2013 e chacoalharam as estruturas do poder, obrigando­‐os a cederem conquistas históricas da luta dos estudantes e da classe trabalhadora.

2. Temos ressalvas óbvias ao oportunismo da presidência do Senado, e ressaltamos que esse projeto não atende o conjunto das reivindicações do Movimento Passe Livre, que defende a Tarifa Zero para toda a população.
Continue reading “Nota do MPL Floripa sobre o “Programa Passe-Livre Estudantil” do Senado”

A farsa do “passe livre” estudantil

Nota do Movimento Passe Livre (MPL) de São Paulo sobre o projeto de “passe livre” estudantil

Não nos causa surpresa o oportunismo do presidente do Senado, Renan Calheiros, que na última semana apresentou um projeto de “passe livre” para estudantes. Nos momentos de revolta, há sempre aqueles que querem aparecer como salvadores. Viram que a maioria dos envolvidos nos protestos eram jovens, e decidiram propor a gratuidade para estudantes na tentativa de acalmar os ânimos.

O Movimento Passe Livre (MPL) defende que o transporte deve ser um direito de toda população. Somente com a Tarifa Zero é possível garantir o direito à cidade.Nas revoltas do último mês, milhares de pessoas nas ruas deixaram claro que, para o povo, todo aumento na tarifa é injusto. A própria tarifa é uma injustiça! Em várias cidades do país hoje, as manifestações não exigem mais a simples redução da passagem, e sim o fim da cobrança de tarifa. Continue reading “A farsa do “passe livre” estudantil”

Golpe do Estado? O Passe Livre Estudantil

por Leo Vinicius

Qual a real intenção dos gestores ao elaborar e tramitar em tempo recorde um projeto de passe livre estudantil como assistimos agora?

Com uma rapidez totalmente fora do comum, no rescaldo das mobilizações pelo país que tiveram como pauta inicial e principal a redução das tarifas do transporte e a discussão da Tarifa Zero, isto é, da mobilidade urbana como direito social, o senador Renan Calheiros (PMDB) lançou o Projeto de Lei nº 248 de 2013.

Projeto esse que institui o Passe Livre Estudantil, para ir à escola ou à universidade durante os dias da semana. O projeto recebeu assinatura de inúmeros senadores e foi aprovado sem sequer passar, como de praxe, pelas comissões da casa. Segundo a imprensa, o relator, senador Vital do Rêgo (PMDB), afirma que o projeto “atende às reivindicações da sociedade”[1], e a presidenta Dilma Rousseff teria dito que “o programa é uma ideia muito interessante”[2].

Ouvir as vozes das ruas é o que o Movimento Passe Livre tem feito desde sua existência, há cerca de dez anos. Continue reading “Golpe do Estado? O Passe Livre Estudantil”

De onde vem o 26 de outubro? Pra onde vai a mobilidade urbana brasileira?

Nesta segunda-feira, a presidenta Dilma foi ao Salão do Automóvel, em SP, para reafirmar o apoio político às soluções individuais de deslocamento nas cidades brasileiras e aos empresários do setor. O clímax da festa foi o anúncio de prorrogação da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) até o fim do ano. Ficará mais barato adquirir um automóvel. Ficará um pouco mais difícil para o povo brasileiro se deslocar nas grandes cidades e um pouco mais distante o sonho de alcançarmos uma política pública coletiva que encare o transporte coletivo como um direito, portanto, coletivo. Ficará melhor para as montadoras que poderão repassar recursos para salvar as finanças de suas matrizes e ficará tudo igual dentro do paradigma em que o deslocamento é uma responsabilidade de cada um – ainda que o seu objetivo quase que total seja o leva e traz dos trabalhadores e trabalhadoras, consumidores e consumidoras, aos locais onde as mercadorias são produzidas ou consumidas e onde o trabalho é explorado.

Bom, nem tudo está perdido. Existe outro caminho a percorrer e, por coincidência, hoje se iniciam as manifestações do Movimento Passe Livre, por ocasião da semana  nacional de lutas pelo transporte público de verdade (acho que já caducou chamar de semana de luta pelo passe livre). A semana gira em torno do dia 26 de outubro e faz menção à manifestação realizada pela então Campanha pelo Passe Livre de Florianópolis (depois Movimento Passe Livre) durante a de votação do projeto de lei do passe livre estudantil nesta mesma data, em 2004. Empolgadas com a vitória da Revolta da Catraca, quando a turma tomou as ruas da cidade e reverteu um aumento nas tarifas de ônibus, milhares de pessoas cercaram a Câmara dos Vereadores, outras conseguiram entrar no plenário e pressionar os legisladores a aprovar o projeto em sua primeira sessão. Os vereadores sem saber o que fazer (deveriam aprova-lo também em definitivo ou aguardar novas ordens de quem os orienta?) fugiram pela saída traseira da Câmara, escoltados pela Polícia Militar. A Lei do Passe Livre estudantil foi aprovada em definitivo no dia 4 de novembro (em uma versão precarizada, diferente da proposta pelo movimento) e posteriormente derrubada pelo judiciário, através de uma articulação com a prefeitura. Vamos lembrar como foi o dia 26 de outubro de 2004 em Floripa?

Havia muita expectativa para o dia 26 de outubro…

Passe-Livre definitivamente aprovado

@camarada_d

[SP] Transporte estudantil gratuito é privilégio de estudantes cravinhenses

por Kennedy Oliveira

A Prefeitura Municipal de Cravinhos tem oferecido aos estudantes universitários e de cursos técnicos transporte gratuito para Ribeirão Preto.

É de conhecimento de grande parte da população brasileira que só haverá justiça social, quando for proporcionado a todas as pessoas Educação de qualidade e gratuita. No município de Cravinhos esse segmento tem tido uma atenção especial do prefeito José Francisco Matasso Ferdinando, Cabelim, inclusive com 11 escolas municipalizadas e estruturadas para receber aproximadamente 4500 mil alunos que frequentam diariamente o local. Além de poderem ter um espaço para a prática esportiva com quadras cobertas e merenda de qualidade. Continue reading “[SP] Transporte estudantil gratuito é privilégio de estudantes cravinhenses”

O Movimento Passe Livre São Paulo e a Tarifa Zero

 

Manifestação pelo passe livre estudantil em 2005

por Legume Lucas e Mariana Toledo

Destacamos que a Tarifa Zero garante outro direito fundamental: o direito de poder se movimentar pela própria cidade, e a partir disto conhecê-la, refletir sobre ela e produzir as ferramentas para transformá-la.

As lutas por transporte no Brasil ganharam grande destaque nos noticiários e na sociedade com as revoltas contra o aumento da tarifa de 2003 em Salvador, 2004 em Florianópolis e 2005 em Florianópolis e Vitória. Continue reading “O Movimento Passe Livre São Paulo e a Tarifa Zero”

Prefeito de Cuiabá quer restringir o passe livre estudantil

O prefeito em exercício de Cuiabá, Júlio Pinheiro (PTB), informou que o próximo passo é restringir a gratuidade do passe livre somente aos estudantes da rede municipal. “Uma equipe já foi acionada para verificar este estudo. Sou defensor disso para aliviar os cofres públicos do município”.

Uma das justificativas para restringir o benefício estudantil é que, sozinho, o município tem que arcar com as despesas de estudantes da rede estadual, federal e particular. Recentemente, o município foi condenado pela Justiça a repassar a AMTU (Associação Mato Grossense do Transporte Urbano) uma dívida de R$ 33 milhões. Continue reading “Prefeito de Cuiabá quer restringir o passe livre estudantil”

Caos em terras capixabas

Foto por Anizio Suela

Texto por Filipi Siqueira

Nas últimas quinta e sexta-feira a cobra comeu e o pau fumou no Espírito Santo. De centenas a milhares de alunos protestaram durante esses três dias pela diminuição das tarifas do transporte público do Estado. É claro que nem o governo e nem a polícia acharam legal, então o que aconteceu foi o seguinte:

PARTE I – PEDRAS NA JANELA DO GOVERNADOR Continue reading “Caos em terras capixabas”

Estudantes reivindicam o direito ao transporte gratuito em BH

por Pedro Ferreira

O protesto dos manifestantes aconteceu no pirulito da Praça Sete, no Centro da capital

No Dia Nacional de Luta Contra os Aumentos das Passagens, estudantes secundaristas e universitários ocuparam na tarde desta quinta-feira o pirulito da Praça Sete, no Centro de Belo Horizonte, reivindicando o direito ao transporte gratuito para todos os estudantes e também para trabalhadores desempregados. Pediram, ainda, a revogação do reajuste das tarifas dos coletivos que entrou em vigor em dezembro passado na capital mineira, por considerarem o aumento abusivo. Continue reading “Estudantes reivindicam o direito ao transporte gratuito em BH”

[Fortaleza] Ato contra o aumento da passagem!

Atenção! Os empresários e a prefeitura querem aumentar a passagem para 2,20.

Além de se beneficiarem com milhões através de isenções de impostos dos governos Cid e Luiziani (PT e PSB), o Sindiônibus (sindicato dos empresários de ônibus) usam o pequeno aumento de 7% dos trabalhadores rodoviários – conquistado pela luta da categoria – para justificar o aumento das passagens. Continue reading “[Fortaleza] Ato contra o aumento da passagem!”