A tarifa como controle social e o racismo neoliberal

por Movimento Passe Livre Rio de Janeiro

policia-revista-suspeitos-blitz-manguinhos

Polícia Militar já declarou que vai aumentar seu efetivo de agentes para supostamente conter os arrastões nas praias na Zona Sul do Rio de Janeiro. Na prática, a tal OPERAÇÃO VERÃO tem como meta promover revistas e coação nos ônibus vindos da Zona Norte, principalmente das favelas do Jacarezinho e do Complexo do Alemão. Não por coincidência, os principais alvos dela são os usuários negros desse transporte coletivo. E isso tem ocorrido não só no município do Rio, mas em outras cidades do Estado do RJ. Continue reading “A tarifa como controle social e o racismo neoliberal”

Docentes da UFRJ defendem a tarifa zero

Ao lado do ex-Canecão, na zona sul do Rio, painel da Seção Sindical dos Docentes da UFRJ reforça campanha que, com os recentes aumentos nas tarifas dos transportes públicos, volta a embalar protestos em várias cidades do país. Em 2013, vale lembrar, a indignação popular diante do reajuste das passagens de ônibus, trem e metrô deu início às grandes manifestações daquele ano.

Fotos: Kelvin Melo

Retirado da página https://www.facebook.com/adufrj.ssind

 

[Rio de Janeiro] Silva Jardim implanta tarifa zero no transporte público do município

por Gabriel Menezes, d’O Globo

O transporte coletivo gratuito foi uma das principais pautas das manifestações que tomaram as ruas de todo o país em junho do ano passado. Na grande maioria das cidades, a reivindicação não foi atendida. Mas, em Silva Jardim, a população não precisa lutar por este benefício. Desde fevereiro, andar de ônibus por lá não custa um centavo além do que já é pago pelos moradores em impostos. A prefeitura adquiriu dez veículos novos, que circulam em oito linhas, todos os dias da semana. Dois ficam de reserva, para substituições em caso problemas mecânicos. Continue reading “[Rio de Janeiro] Silva Jardim implanta tarifa zero no transporte público do município”

[MPL Rio e Niterói] Sobre o ato do dia 28 e a jornada de lutas que se inicia

O ano se iniciou após o MPL-Rio e o MPL-Niterói terem organizado seu primeiro ato, em 20 de Dezembro, construído com outras organizações, indivíduos e movimentos. A luta contra o aumento das passagens municipais foi retomada após o Prefeito Eduardo Paes declarar que ele ocorreria em Janeiro de 2014. Porém no dia do ato o Tribunal de Contas do Município aconselhou que o prefeito não aumentasse as passagens, devido às irregularidades na analise das contas que envolvem a FETRANSPOR. Seguida da posição do prefeito de esperar até Fevereiro para ter a resposta do órgão, no mês Janeiro ficou suspenso de aumento na tarifa municipal no Rio. Continue reading “[MPL Rio e Niterói] Sobre o ato do dia 28 e a jornada de lutas que se inicia”

As tarifas aumentarão no Rio e haverá luta pela redução

A prefeitura do Rio de Janeiro anunciou hoje que as tarifas de ônibus serão aumentadas, a partir do dia 8 de fevereiro, de R$ 2,75 para R$ 3,00. O Movimento Passe Livre do Rio de Janeiro já vinha organizando a luta para resistir a esse reajuste (e ao já em vigor nas linhas intermunicipais e autorizado nos trens) que significa o aumento no número de pessoas que podem andar de ônibus, reduzindo a liberdade de deslocamento dos mais pobres pela cidade, e precarizando a vida dos que ainda conseguem pagar pelas passagens – desde que deixem de gastar seus rendimentos com outras coisas.

Não é demais associar o aumento nas tarifas com a política de proibição do acesso de populações mais pobres, sobretudo jovens, como no caso dos rolezinhos nos shoppings e nas praias, assunto abordado no artigo abaixo, Pelo direito ao “rolezinho” pela cidade. A lição é clara: tarifa é muito mais do que fonte de custeio do sistema, é um método pouco sutil de controle sobre quem pode ou não pode ir a determinados lugares, em determinados horários.

Veja abaixo como foi a manifestação contra os aumentos puxada pelo MPL Rio, realizada na última terça, dia 28. A próxima está marcada para o dia 6, a partir das 17h, com concentração na Candelária. Continue reading “As tarifas aumentarão no Rio e haverá luta pela redução”

Pelo direito ao “rolezinho” pela cidade/ A cultura de se chamar lazer de pobre de “arrastão”

Por Andressa Vieira

Quem pegou ônibus nas últimas semanas na cidade do Rio de janeiro pela zona sul observou uma presença ostensiva de policiais nos espaços públicos. Chegou a ter um carro do Choque em cada esquina e o tempo todo estes agentes abordavam e revistavam jovens negros com roupas simples que passeavam pela praia e ruas próximas.

Os ônibus que vêm da zona norte estão sendo escoltados por batedores (policiais em moto) e os responsáveis pela ação chegaram a alegar que seguiam “jovens sem camisa pra evitar arruaça”. Num Rio de janeiro que nos últimos dias chegou a ter sensação térmica de 50 graus, por que seria problemático alguém estar sem camisa a caminho da praia? Para um recorte de classes, é claro. Continue reading “Pelo direito ao “rolezinho” pela cidade/ A cultura de se chamar lazer de pobre de “arrastão””

Eu tenho medo do preço da tarifa

Momento pedagógico em minissérie da Globo que me chega via camarada de Floripa: Chiquinha Gonzaga e a luta contra o aumento nas tarifas de bonde no Rio de Janeiro em 1880, a Revolta do Vintém. E da injustiça da cobrança do tributo – que é como acertadamente chamavam a tarifa – associaram a luta contra a escravidão e pela república. Para todos esses fins houve conflito e estamos vivendo tempos melhores por isso.

[Não tem dinheiro pra tarifa zero?] Após receber R$ 200 mi de verba da Copa para reformar hotel, empresa de Eike não garante entrega a tempo

por Vinícius Segalla, do UOL

O Hotel Glória,  no Rio de Janeiro, de propriedade da REX, do empresário Eike Batista, não estará com seus 231 quartos em operação durante a Copa do Mundo 2014. A REX tomou  empréstimo de R$ 200 milhões do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) em agosto de 2010 para reformar o hotel. Os recursos são da linha ProCopa Turismo do banco estatal, que deveria financiar exclusivamente obras de interesse para a Copa do Mundo. Continue reading “[Não tem dinheiro pra tarifa zero?] Após receber R$ 200 mi de verba da Copa para reformar hotel, empresa de Eike não garante entrega a tempo”

[Não tem dinheiro pra tarifa zero?] Crédito do BNDES bancará até R$ 5,37 bilhões do trem-bala

Por Venceslau Borlina Filho

O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) aprovou as condições para financiamento do trem-bala que vai ligar Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro.

O projeto será financiado na modalidade “Project Finance” e terá participação máxima do banco de R$ 5,37 bilhões. A taxa de juro será de 1% ao ano, acrescida do custo financeiro calculado pela TJLP (Taxa de Juros de Longo Prazo) e “spread” de risco. O prazo para pagamento será de 30 anos. Continue reading “[Não tem dinheiro pra tarifa zero?] Crédito do BNDES bancará até R$ 5,37 bilhões do trem-bala”

Do “Fora o Vintém” à tarifa zero!

por Camila S. Betoni

Como muitos outros episódios em que o povo comum é protagonista, a Revolta do Vintém não fez parte das “grandes narrativas da história”, foi até hoje pouco estudada e não há muitos registro sobre o que aconteceu nos últimos meses daquele ano. De todo jeito, com as poucas informações que tenho, gostaria de lembrar desse episódio, mas sem rigor científico, tendo como fonte o pouco que li e exercendo certa imaginação sobre os fatos. Faço isso como homenagem ao Movimento Passe Livre, por sua semana oficial de lutas, marcada anualmente pelo 26 de Outubro.

“Vive o pobre amargurado,
Mas vá pagando o vintem,
Si quizer ser transportado,
Quando vae e quando vem.”  Continue reading “Do “Fora o Vintém” à tarifa zero!”